Laboratorio Cianorte

Dicas, Recomendações, Ideias

Qual O Colesterol Bom?

O que é o colesterol LDL alto?

A LDL carrega o colesterol do fígado para as artérias. Dessa forma, quanto mais alto LDL-colesterol, ou seja, o colesterol carregado pelas LDL, e mais baixo o HDL-colesterol (aquele carregado pelas HDL) maior será o risco de doenças cardiovasculares, o contrário com raríssimas exceções também é verdade.

Qual é o valor do colesterol bom?

Colesterol | Pfizer Brasil Home Sua Saúde Seu Coração Colesterol O que chamamos normalmente de colesterol é, na verdade, a soma de diferentes tipos de colesterol. Alguns deles, quando estão em níveis mais altos, podem formar uma placa nas paredes das artérias e dificultar ou impedir a passagem do sangue.

  • Quanto mais elevadas as taxas, maior é o risco de sofrer uma doença coronariana, a forma mais comum da doença cardíaca.
  • Por que controlar o colesterol? O colesterol é um composto gorduroso utilizado para a produção das membranas celulares e de alguns hormônios.
  • Existem diferentes tipos – HDL, LDL e VLDL -, sendo que o organismo fabrica a maior parte do que necessita.

Porém, o colesterol também é encontrado em alimentos de origem animal, como ovo, carne e leite.

Lipoproteínas de baixa densidade (LDL) ou colesterol “ruim” – pode prender-se nas paredes das artérias formando placas de gordura. Com o passar do tempo, é possível que elas dificultem ou impeçam a passagem do sangue provocando angina (dor no peito) ou até mesmo um infarto (ataque cardíaco). Quanto mais elevado o nível de LDL, maior é o risco de desenvolver uma doença cardíaca. Para a maioria das pessoas, o ideal é que a taxa de LDL fique abaixo de 130 mg/dl. Lipoproteínas de alta densidade (HDL) ou colesterol “bom” – ajuda a remover o excesso de colesterol do sangue. Quanto mais elevados os níveis de HDL, menores são os riscos de desenvolver uma doença cardíaca. O ideal é que a taxa de HDL seja superior a 40 mg/dl. Lipoproteína de densidade muito baixa (VLDL) – este é um tipo de colesterol que transporta mais triglicérides, outro tipo de gordura presente no sangue, do que colesterol. Os níveis mais altos de VLDL podem causar acúmulo de gordura nas artérias, o que também aumenta os riscos de doenças cardíacas.

Um estilo de vida mais saudável ajuda a reduzir a taxa do colesterol Você pode adotar hábitos saudáveis para ajudar a diminuir o nível de colesterol ruim e o risco de ter doença cardíaca. Mesmo se você já tiver uma doença cardíaca, isso ajuda a prevenir problemas futuros.

  • Conheça seus níveis de colesterol É possível que você tenha taxas altas de colesterol e nem saiba.
  • O aumento acontece ao longo dos anos sem qualquer sintoma.
  • Um dia, sem aviso, você pode sofrer um ataque cardíaco.
  • Para evitar que isso aconteça, é preciso manter os níveis de colesterol no sangue sempre controlados.

Exercícios físicos e o colesterol A prática de exercícios físicos pode elevar a concentração de HDL (colesterol “bom”) no sangue e diminuir a de LDL (colesterol “ruim”). Antes de começar a praticar, é importante consultar o médico para saber se você tem algum tipo de impedimento e quais tipos de exercícios são mais adequados para você.

Coma moderadamente carnes e derivados de leite integral; Prefira peixes e frango sem pele ao invés de carnes vermelhas, eles têm menos gorduras; Prefira leite e derivados com menos gordura; Coma à vontade verduras, legumes e frutas frescas; Coma leguminosas (feijão, ervilha, lentilha etc.) e prefira cereais integrais (como arroz, aveia e trigo) e massas feitas com eles; Cozinhe os alimentos com um mínimo de gordura, é possível preparar vários dos seus pratos favoritos com muito pouca; Prefira os alimentos cozidos, refogados, grelhados ou assados ao invés de fritos; Refogue os alimentos com pouco óleo, utilize caldos não gordurosos; Tire a gordura de carnes e a pele de frangos; Doure a carne e drene a gordura antes de adicionar outros ingredientes; Tenha moderação na quantidade de creme de leite, chocolates, sorvetes à base de leite, presunto e demais embutidos.

Se você tem diabetes, procure a orientação de um médico sobre as adaptações necessárias na alimentação para diminuir o colesterol. Referências PP-PFE-BRA-3445 : Colesterol | Pfizer Brasil

Qual o valor normal do colesterol HDL e LDL?

A importância de acompanhar os níveis de colesterol

Valores em mg/dl Colesterol total HDL (colesterol bom)
Ideal Menor que 200 Maior que 50
Superior Entre 200 e 240 Entre 35 e 49
Indesejável Maior que 240 Menor que 35

Quando o colesterol LDL é preocupante?

Colesterol LDL (Colesterol ruim): –

Normal menor que 130 mg/dL para pessoas com baixo risco cardiovascular. Normal menor que 70 mg/dL para pessoas de alto risco para doenças cardiovasculares.

Quando o LDL é perigoso?

Colesterol LDL (ruim): –

Pessoas jovens, sem doenças e hipertensão bem controlada: até 130 mg/dlPessoas com 1 ou 2 fatores de risco (como tabagismo, pressão alta, obesidade, diabetes e outros): até 100 mg/dlPessoas com alto risco cardiovascular e vários fatores de risco: até 70 mg/dlPessoas com risco cardiovascular muito alto: até 50 mg/dl

Quando o HDL é preocupante?

Colesterol HDL alto: quanto maior melhor? Não é bem assim. – CardioPapers Esta publicação também está disponível em: Que o HDL é classicamente chamado de ” colesterol bom “, todos sabem! Seria então o colesterol HDL alto um preditor de menor mortalidade? Numerosos estudos demonstraram uma relação inversa entre o HDL e o risco cardiovascular: quanto menores seus níveis, maior é o risco de incidência de doenças ateroscleróticas, por exemplo.

Por outro lado, níveis mais altos desta lipoproteína são muitas vezes vistas como protetores. No entanto, os tratamentos farmacológicos que tiveram por meta aumentar os níveis de HDL (por exemplo, niacina, ou inibidores da CETP) não conseguiram provar benefício em reduzir o risco de eventos cardiovasculares, alguns até mesmo com sinais de possível dano.

(para mais detalhes, confira em

  • Mas e se o HDL estiver muito alto?
  • Ao longo do tempo, pouca atenção foi dada àqueles com níveis muito altos de HDL, e estudos mais recentes em populações saudáveis começaram a sugerir que possa haver uma associação paradoxal com maior mortalidade nesse grupo.
  • Para verificar melhor essas observações, pesquisadores examinaram os dados de duas coortes prospectivas, acompanhadas no Reino Unido e nos EUA, para verificar a associação entre o nível de HDL muito alto (definida como maior que 80 mg/dL) e a mortalidade em pacientes com doença arterial coronária (DAC).

Tanto entre os 14.500 ingleses (idade média 62 anos; 76% homens) quanto os 5.500 norte-americanos (idade média 64 anos; 66% homens) incluídos no estudo, houve uma associação em forma de “U” entre nível de HDL e mortalidade. Ou seja, comparado a níveis de HDL entre 40-60 mg/dL, aqueles com valores mais baixos (≤30 mg/dL) ou mais elevados (>80 mg/dL) apresentaram risco significativamente maior de morte cardiovascular e morte por todas as causas. Na população do Reino Unido, por exemplo, após ajuste para os fatores de confusão, pacientes com HDL >80 mg/dL tiveram um risco de morte 70% maior do que aqueles com níveis médios. Curiosamente, este risco foi maior entre os homens do que entre as mulheres. Esses achados sugerem que níveis muito elevados de HDL estão paradoxalmente associados a maior mortalidade em indivíduos com DAC. Tanto níveis muito baixos ou muito altos de HDL devem servir como um alerta para o clínico, sinalizando que o paciente possa estar em maior risco. Isso deve instigar o médico a instituir estratégias mais agressivas de prevenção, seja no controle do peso, pressão arterial, ou mesmo os níveis de LDL.

  1. Ao avaliarmos um paciente com HDL muito elevado, devemos mudar a abordagem de ” seu colesterol ‘bom’ é excelente, está muito alto ” para ” seu HDL é muito elevado, e nós vamos acompanhar isso mais de perto! “
  2. Por enquanto, tanto tratamentos que aumentem ou reduzam o HDL não são indicados.
  3. Referência:

Liu C, Dhindsa D, Almuwaqqat Z, et al. Association Between High-Density Lipoprotein Cholesterol Levels and Adverse Cardiovascular Outcomes in High-risk Populations. JAMA Cardiol. Published online May 18, 2022. doi:10.1001/jamacardio.2022.0912

O que significa LDL acima de 130?

Níveis de LDL colesterol 100 mg/dL a 129 mg/dL: Próximo ou acima do valor ótimo; 130 mg/dL a 159 mg/dL: Limítrofe ; 160 mg/dL a 189 mg/dL: Alto; 190 mg/dL ou superior: Muito alto.

O que é mais perigoso colesterol e triglicerídeos?

Triglicérides pode ser mais perigoso que colesterol para AVC, diz estudo Um estudo de pesquisadores na Dinamarca mostrou que o nível de triglicérides sem jejum está relacionado a um risco maior de AVC em homens e mulheres. Já o colesterol alto esta associado a tal risco apenas entre os homens.

A pesquisa, que analisou dados de 33 anos, foi publicada pelo jornal científico “Annals of Neurology”. Evidências médicas sugerem que o alto nível de triglicérides sem jejum demonstra uma grande quantidade de fragmentos de lipoproteínas, partículas semelhantes ao LDL – conhecido como “colesterol ruim”.

Ambos contribuem para a formação de placas que podem levar ao entupimento das vias coronarianas. “Interessantemente, as guias atuais de prevenção de derrames têm recomendações quanto a níveis desejáveis de colesterol, mas não de triglicérides sem jejum”, disse a autora do artigo, Dra.

  • Marianne Benn, do Hospital Universitário de Copenhague.
  • Nosso estudo foi o primeiro a examinar o risco de derrame para níveis muito altos de triglicérides sem jejum em comparação com níveis muito altos de colesterol na população geral”, prosseguiu.
  • Mulheres com o triglicérides em 443 mg/dL têm uma possibilidade quase 3,9 vezes maior de sofrerem um derrame, em comparação com as que tem o nível em até 89 mg/dL.
See also:  Qual O Melhor Restaurante De SãO Paulo?

Entre os homens, com estes mesmos indicadores, o risco é 2,3 vezes maior. No entanto, quando o nível de colesterol passa de 348 mg/dL, o risco relativo sobe para 4,4. O estudo acompanhou 7.579 mulheres e 6.372 homens, todos brancos e de origem dinamarquesa.

  • Seus dados começaram a ser coletados entre 1976 e 1978 e foram analisados ao longo de até 33 anos.
  • Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), as doenças coronarianas são a principal causa de mortes no mundo.
  • A estimativa mais recente, de 2004, apontou que 17,1 milhões de pessoas morriam em decorrência delas por ano; 5,7 milhões por causa de derrames.

: Triglicérides pode ser mais perigoso que colesterol para AVC, diz estudo

O que significa LDL muito baixo?

Quais são os tipos de colesterol? – Esse lipídio (molécula orgânica) é essencial para as funções vitais do organismo, como produção de hormônios e de ácidos que facilitam a digestão. Além disso, ele é responsável por atuar na melhoria do desempenho da vitamina D. Os tipos de colesterol são chamados de LDL, HDL e VLDL, cada um com suas particularidades e especificidades:

O colesterol LDL (lipoproteínas de baixa densidade) é aquele considerado ruim pelo fato de se aglutinar nas paredes das artérias, formando placas de gordura. Isso dificulta a livre passagem do sangue e aumenta as chances de desenvolvimento de doenças cardiovasculares ;O colesterol HDL (lipoproteínas de alta densidade), por sua vez, é responsável por retirar o excesso de colesterol LDL das células. Desse modo, ele impossibilita o entupimento das artérias e é considerado como bom;Por fim, o colesterol VLDL (lipoproteínas de densidade muito baixa) cumpre a função de transportar uma quantidade de triglicérides maior. Assim como o LDL, também causa o acúmulo de gordura nos vasos sanguíneos.

Como eu sei que meu colesterol está alto?

Dia Nacional de Combate ao Colesterol: entenda como identificar, prevenir e tratar O é um dos principais fatores associados ao agravamento de doenças cardiovasculares como a, insuficiência cardíaca, (AVC) e agudo do miocárdio. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), cerca de 14 milhões de brasileiros têm alguma doença no coração e aproximadamente 400 mil morrem por ano em decorrência desses problemas, o que corresponde a 30% de todas as mortes no país.

Ainda assim, a dislipidemia é uma doença silenciosa e que requer atenção de pacientes e profissionais da saúde para ser identificada. O colesterol é uma substância produzida pelo fígado e solúvel em gordura, o que faz com que seja transportada por lipoproteínas. Ele é essencial para a síntese de hormônios, vitamina D, ácidos biliares, reações imunológicas alérgicas ou anti-inflamatórias e é chamado de LDL (do inglês para lipoproteína de baixa densidade), que é carregado para as células, e HDL (lipoproteína de alta densidade), quando transportado para ser eliminado pelo organismo.

“O colesterol alto tem um papel fundamental na aterogênese, ou seja, existe uma deposição de gordura nas células da parede vascular”, ressalta Caroline Reigada, médica especialista em medicina intensivista. Em níveis elevados, o LDL forma placas de gordura que comprometem a saúde e a qualidade de vida. Hipertensão, diabetes e hábitos como o sedentarismo e o consumo de álcool podem favorecer o desenvolvimento da dislipidemia, doença causada pelo excesso de colesterol no sangue. Foto: Reuters O risco principal está na obstrução e aneurisma de artérias (em que o vaso sanguíneo se dilata de forma anormal e pode se romper).

“A doença vai obstruindo as artérias e, às vezes, a pessoa só descobre que tinha colesterol alto quando tem um evento cardíaco”, explica Marcella Garcez, médica nutróloga e diretora da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran). Assim como doenças como diabete e hipertensão, a dislipidemia está frequentemente relacionada a hábitos como sedentarismo, tabagismo, alimentação não balanceada e uso de bebidas alcoólicas.

Frequentemente, a origem do colesterol alto é a genética e, nesse caso, a própria produção do colesterol pelo fígado ocorre de forma diferente das pessoas que não tem essa predisposição hereditária. Continua após a publicidade Existem ainda outros fatores que podem desencadear a doença, principalmente ligados a lesões no fígado ou alterações no metabolismo de açúcares e gorduras.

Hábitos como tabagismo, uso de álcool, sedentarismo e alimentação rica em gorduras e carboidratos;Diabete;Distúrbios na tireoide;Insuficiência renal;Doenças das vias biliares;Síndrome nefrótica que causa a eliminação de proteínas na urina, o que faz com que o fígado produza mais lipoproteínas, enviadas ao sangue;Excesso de corticoides, que afetam o metabolismo de açúcares e gorduras;Alguns anticoncepcionais e tipos de terapia hormonal.

Segundo Caroline, os sintomas só se tornam visíveis quando o quadro já está muito acentuado. “Quando o paciente está com o LDL muito alto, pode ocorrer a formação de nódulos de gordura nas pele ( xantomas ), nas pálpebras ( xantelasmas ), aumento do fígado e do baço e mesmo uma neuropatia; alteração dos nervos periféricos com sensação de queimação e formigamento de mãos e pés”, resume. Gordura animal, frituras, alimentos ricos em açúcar e gordura trans devem ser evitados para combater o colesterol alto. Foto: Mike Mozart/Creative Commons Continua após a publicidade A partir do diagnóstico, é preciso agir para diminuir as chances de complicações cardiovasculares.

Embora a mudança de estilo de vida acompanhada da criação de hábitos mais saudáveis seja indicada, ela não pode operar milagres; afinal, apenas 30% da síntese do colesterol é influenciada por fatores como a alimentação e a prática de atividades físicas — o restante é produzido pelo próprio organismo.

“Quando você tem uma dislipidemia, que é a doença instalada, com níveis muito alterados, tem que tratar com medicamentos. Por outro lado, não adianta continuar comendo errado, porque aí vai precisar de doses maiores, com mais efeitos colaterais”, destaca Marcella Garcez.

  • A medicação se faz necessária na maioria dos casos em que há predisposição genética, já que o fator hereditário interfere na produção do colesterol e se torna o principal responsável pelos altos níveis da substância.
  • Um dos medicamentos mais comuns utilizados para tratar e controlar a dislipidemia é o grupo das estatinas, que diminuem a síntese de LDL realizada pelo fígado.

Alguns exemplos são a Sinvastatina, a Atorvastatina e a Lovastatina.

Evitar fumar e consumir bebidas alcoólicas;Procurar praticar cerca de 150 minutos de atividade física por semana;Dar preferência a alimentos integrais;Evitar o consumo de gordura de origem animal, alimentos com gorduras trans e alimentos fritos por imersão, mesmo que com óleo vegetal;Diminuir o consumo de alimentos com açúcar refinado e farinha de trigo. Os carboidratos também podem ser convertidos em gordura, além de estimularem resposta inflamatória do corpo e afetarem as funções hepáticas;Buscar acompanhamento médico, principalmente em caso de histórico familiar de colesterol alto ou problemas cardiovasculares, para a realização de exames periódicos.

Para crianças com fatores de risco, como doença coronariana prematura, histórico familiar de hiperlipidemia grave, diabete ou hipertensão, Caroline Reigada explica que é recomendado o exame do perfil lipídico em jejum uma vez entre dois e oito anos. Para as crianças que não têm fatores de risco, a análise pode ser feita em jejum ou não, entre os nove e 11 anos e mais uma vez dos 17 aos 21 anos.

Qual é o significado de HDL?

Colesterol HDL – A sigla HDL significa High Density Lipoproteins, Traduzindo: lipoproteínas de alta densidade. O HDL tem como principal função a absorção dos cristais do colesterol depositados nas artérias. Ao fazer isso, a lipoproteína leva a gordura de volta ao fígado, onde será eliminada.

O que é o colesterol baixo?

O colesterol é uma substância importante para o organismo. São várias as suas funções, como manter o funcionamento adequado da membrana celular e transportar vitaminas lipossolúveis (aquelas que se dissolvem apenas em substâncias gordurosas, como as vitaminas A, D, E e K) pelo sangue.

  • Muito se fala na necessidade de diminuir o nível de colesterol no sangue para evitar, principalmente, as doenças cardiovasculares.
  • Mas será que é saudável mantê-lo em um nível muito baixo? Segundo o Dr.
  • Fábio de Cerqueira Lario, coordenador do Núcleo de Cardiologia Geral e Prevenção do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, já está bem determinado que o nível elevado de colesterol (LDL) no sangue está associado ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares e deve ser controlado.
See also:  Irite Ne Demek?

Entretanto o nível muito baixo também pode se associar a problemas de saúde, como depressão, câncer e déficit de vitaminas. Contudo o nível mínimo considerado saudável ainda é objeto de debate no meio científico. Segundo ele, existe certo consenso de que valores do LDL-Colesterol (¨colesterol ruim”) menores que 40 mg/dl no sangue são considerados baixos, entretanto, estudos recentes não demonstraram efeitos colaterais graves mesmo quando esse valor foi reduzido até 25 mg/dl.

Dr. Lario alerta também para os índices considerados aceitáveis para o colesterol, que podem variar de pessoa para pessoa. “Nas pessoas que possuem risco mais elevado de desenvolver uma doença cardiovascular, fumam, são sedentárias, diabéticas, hipertensas e com idade mais avançada, os níveis de colesterol devem ser mais baixos.

Em contrapartida, se o nível de colesterol for o único fator de risco e não for excessivamente alto, pode-se tolerar um valor um pouco maior”, ressalta. O uso de medicamentos como as estatinas chegam a reduzir o colesterol em até 60%. Mas eles devem ser usados apenas com orientação médica, em geral por pessoas que já desenvolveram doenças do coração relacionadas ao depósito de colesterol nas artérias ou que apresentam risco mais elevado de desenvolvê-las.

O que significa colesterol LDL 170?

Valores de colesterol HDL e LDL – Como a dislipidemia é um dos principais fatores de risco para doenças cardiovasculares, a medicina tem tentado estabelecer através de estudos quais são os níveis ideais de colesterol HDL e LDL. Atualmente, classificamos os resultados da seguinte maneira: LDL

  • Menor que 100 mg/dL: ótimo.
  • Entre 101 e 130 mg/dL: normal.
  • Entre 131 e 160 mg/dL: normal/alto.
  • Entre 161 e 190 mg/dL: alto.
  • Maior que 190 mg/dL: muito alto.

HDL

  • Menor que 40 mg/dL: baixo (ruim).
  • Entre 41 e 60 mg/dL: normal.
  • Maior que 60 mg/dL: alto (ótimo).

O que faz aumentar o colesterol ruim?

Embora seja reconhecido como algo ruim, o colesterol desempenha funções importantes no organismo humano. Ele faz parte da estrutura das células do organismo e é essencial para a produção de alguns hormônios e de vitaminas. O colesterol também forma ácidos biliares, que são substâncias que atuam na digestão. Receba, em primeira mão, as principais notícias da CNN Brasil no seu WhatsApp! Inscrever-se O índice de colesterol pode estar ligado ao estilo de vida, como má alimentação, tabagismo, sedentarismo e obesidade. Mas ele também pode estar associado a questões genéticas, que é chamado de hipercolesterolemia familiar (HF). O controle é possível a partir de hábitos saudáveis de alimentação e atividade física.

O assunto foi amplamente abordado por especialistas de diversas áreas no CNN Sinais Vitais ( assista a íntegra acima ). Segundo o Ministério da Saúde, 4 em cada 10 brasileiros têm colesterol alto. “O colesterol ruim é aquele que está associado ao aumento do risco de problemas do coração nos infartos e derrames.

O colesterol bom é aquele que teoricamente protege nosso organismo contra isso”, explica Raul Dias dos Santos Filho, diretor da Unidade Clínica de Lípides do Incor. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia, a hipercolesterolemia familiar (HF) acomete 10 milhões de pessoas no mundo e 300 mil no Brasil.

“Um hábito alimentar com consumo alto de carnes vermelhas, gorduras saturadas e alimentos ultraprocessados, aliado ao baixo consumo de frutas e de hortaliças, favorece a hipercolesterolemia e aumenta o risco das doenças cardiovasculares”, explica a pesquisadora Ana Luisa Souza de Paiva Moura, da coordenação-geral de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde.

“Se o padrão alimentar for equilibrado, a pessoa pode ter uma vida saudável e manter o colesterol em concentrações adequadas”, completa. A especialista alerta que o problema não está limitado a apenas uma faixa etária. “Pessoas de qualquer idade, até mesmo crianças, podem ter colesterol alto.

Quais os sintomas de quem tem colesterol alto e triglicérides?

Sintomas de colesterol alto – O colesterol alto não apresenta sintomas, porém, sinais como: dor no peito, fraqueza, fadiga, prisão de ventre, enjoos e dores de cabeça podem indicar problemas cardiovasculares. Além disso, seu surgimento pode estar ligado a fatores genéticos. Qual O Colesterol Bom

Qual é a combinação ideal de LDL e HDL?

Ideal – O nível ideal deve ser menor que 200 mg/dL no colesterol total (que é a soma de todas as frações de colesterol), menor que 100 mg/dL de LDL e maior que 50 de HDL.

Porque LDL baixo é ruim?

Consequências do colesterol baixo Entre as complicações de saúde que o colesterol baixo pode causar estão: maior incidência de transtornos psicológicos – ansiedade, depressão e crise do pânico; risco de desenvolver câncer; problemas sexuais – impotência, redução da libido feminina e infertilidade.

É bom ter o HDL alto?

Nível de HDL elevado corresponde a HDL colesterol > 80 mg/dL ( > 2,1 mmol/L). Níveis elevados de HDL costumam estar relacionados a menor risco cardiovascular; contudo, altos níveis de HDL colesterol decorrentes de algumas doenças genéticas podem não proteger de doença cardiovascular, provavelmente em razão das alterações metabólicas e lipídicas concomitantes. As causas primárias da elevação dos níveis de HDL são

Mutações únicas ou múltiplas que resultam na produção excessiva ou na diminuição da depuração do HDL.

As causas secundárias de colesterol HDL alto incluem:

Alcoolismo crônico sem cirrose Fármacos (p. ex., corticoides, insulina, fenitoína e estrogênio )

O achado inesperado de colesterol HDL alto em pacientes que não estão tomando fármacos redutores de lipídios deve impelir uma avaliação diagnóstica imediata à procura da causa secundária com mensuração dos níveis séricos de AST (aspartato aminotransferase), alanina aminotransferase (ALT) e tireotropina; uma avaliação negativa sugere uma possível causa primária. A deficiência da proteína de transferência de colesteril éster (CETP) é uma rara doença autossômica recessiva causada por uma mutação do gene CETP, Esse gene facilita a transferência de ésteres de colesterol das HDL para outras lipoproteínas e a deficiência de CETP provoca LDL baixa e diminui a depuração de HDL. Os pacientes afetados não apresentam sinais ou sintomas, mas apresentam HDL colesterol > 150 mg/dL (> 3,9 mmol/L). Não se comprovou proteção contra doenças cardiovasculares. Não é necessário tratamento. Hiperalfalipoproteinemia familiar é uma doença autossômica dominante causada por inúmeras mutações genéticas não identificadas e conhecidas, incluindo aquelas que causam superprodução das variantes apolipoproteína A-I e apolipoproteína C-III. A doença costuma ser diagnosticada por acidente quando os níveis plasmáticos de HDL colesterol > 80 mg/dL (> 2,1 mmol/L). Os pacientes afetados não apresentam outros sinais ou sintomas. Não é necessário tratamento. OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: VISUALIZAR A VERSÃO SAÚDE PARA A FAMÍLIA Direitos autorais © 2023 Merck & Co., Inc., Rahway, NJ, EUA e suas afiliadas. Todos os direitos reservados.

Quanto maior o HDL melhor?

Colesterol HDL – Tanto para os vasos quanto para o fígado e a nossa circulação, o colesterol que é considerado bom, protege os nossos vasos e não permite que haja depósito de gordura em locais estratégicos como nos vasos ou em outros órgãos importantes é o Colesterol HDL.

O HDL que é uma das frações do colesterol total, quanto mais elevado for, mais poupa o organismo, os vasos, o fígado, os órgãos em geral. É um fator genético associado aos hábitos físicos e alimentares. Então, quando você vai dosar o colesterol, dosa os 3 tipos: LDL, total, VLDL e o HDL. Quanto mais alto for o Colesterol HDL (na faixa de normalidade é acima de 40) melhor para o seu organismo, vasos, coração, cérebro e fígado.

Quando o Colesterol HDL é baixo, e aí, em consequência o LDL e o VLDL forem altos, mais prejudicial é esse colesterol em depositar gordura nos vasos e no fígado. Então o grande colesterol, o colesterol saudável é o HDL. Como fazer para mantê-lo assim protegendo todo o organismo além do fator genético? Vale ressaltar que, às vezes, desde criança os números do HDL são positivos devido a hereditariedade,

Quando o HDL é considerado muito baixo?

Quando os valores do HDL estão menores que 40 mg/dL, é preciso ficar alerta à possibilidade do aparecimento de doenças perigosas, principalmente as cardiovasculares.

O que fazer quando o colesterol LDL está alto?

SOCERJ – Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro

Colesterol Ateno para os seguintes aspectos: O que colesterol? Como o colesterol leva doena do corao? Por qu importante controlarmos o colesterol o sangue? Quando se deve dosar o colesterol e quem deve ser tratado? O que so triglicerdeos e como afetam as artrias? O que influencia o nvel de colesterol no sangue? Qual o tratamento para nveis elevados de colesterol e triglicerdeos?

See also:  Qual DoenA Causa Fraqueza Nas Pernas?

– O colesterol produzido no fgado e circula no sangue “encapsulado” por lipoprotenas. – O colesterol um componente fundamental para a integridade das clulas e para a produo de hormonios. Seu excesso na circulao, entretato, danoso ao organismo. – Uma destas lipoprotenas, o LDL-colesterol est implicado no risco de doena coronariana.

A cada 5 anos a partir dos 20 anos, recomenda-se dosar o colesterol no sangue. – As recomendaes para o tratamento do colesterol alto devem levar em considerao os nveis de colesterol total, LDL, HDL e a associao com outros fatores de risco para doena coronariana. – Dietas ricas em colesterol e gorduras saturadas podem aumentar os nveis circulantes de colesterol.

Dietas ricas em gorduras insaturadas podem baixar os nveis de colesterol. – O tratamento do colesterol alto, consiste em dieta, perda de peso, exerccios e, nos casos indicados, medicao. Colesterol um composto qumico gorduroso que integra a membrana das clulas do organismo.

  1. A maior parte sintetizada no fgado e transportada no sangue por protenas especiais, as “lipoprotenas”, encarregadas da distribuio deste colesterol por todas as clulas do corpo.
  2. As mais imporantes so o LDL e o HDL.
  3. Como esta substncia integra as clulas do corpo, natural que os alimentos de origem animal sejam ricos em colesterol.

Os vegetais, por sua vez, so pobres em colesterol. O LDL o mais importante carreador de colesterol no sangue. Costuma ser denominado “mau colesterol” porque seu excesso no sangue associa-se a doena das artrias coronarias. A LDL lipoproteina deposita o excesso de colesterol na parede das artrias provocando a formao de placas gordurosas que estreitam os vasos e podem impedir a circulao do sangue.

  1. Estas placas de aterosclerose podem localizar-se nas artrias que nutrem o corao, as coronrias, dificultando a circulao do sangue e podendo levar isquemia do msculo cardaco, ou seja, ao sofrimento do corao por falta de sangue e oxigenao adequada.
  2. A isquemia pode provocar dor no peito (angina) e um cogulo formado na regio da placa pode, por fim, bloquear completamente a passagem do sangue, provocando o infarto.

As HDL lipoprotenas, ou “bom colesterol” remove o colesterol da parede das artrias, levando-o de volta ao fgado. Quanto maior sua cocentrao no sangue, maior a proteo conferida contra o excesso de colesterol e a doena aterosclertica. Os seguintes fatores aumentam o risco de doena coronariana: – Colesterol alto – Fumo – Presso alta – Diabete – Obesidade – Idade: homens acima de 45 anos e mulheres acima de 55 anos – Sexo masculino – Histria de doena coronariana nos familiares prximos Juntamente com o fumo e a presso alta, o colesterol um dos principais fatores de risco para doena coronariana passveis de controle.

Idade, sexo, histria familiar so considerados fatores de risco no modificveis. O controle do colesterol retarda o endurecimento das artrias e pode mesmo reverter o processo de crescimeto da placa, ou seja, levar sua regresso, ainda que parcial. Estudos clnicos demonstraram que a queda de um ponto percentual nos nveis de colesterol associa-se com uma queda de dois pontos percentuais (o dobro!) no risco de ataque cardaco.

Recentemente demonstrou-se que o tratamento agressivo do colesterol alto com medicamenos e dieta reduziu significativamente o risco de morte decorrente de aterosclerose coronariana, alm de melhorar a sobrevida dos pacientes. Recomenda-se dosar o colesterol no sangue a cada 5 anos a partir dos 20 anos de idade.

A chance de desenvolver doena do corao aumenta proporcionalmente ao aumento do colesterol. Os nveis ideais situam-se abaixo de 200 mg/dl. Indivduos acima de 35 anos e com colesterol em nveis ideais no precisam de tratamento. Quem tiver colesterol total elevado e LDL acima de 130, necessita dieta, perda de peso e exerccios.

Recomenda-se o uso de medicao para aqueles com LDL alto, acima de 190 apesar da dieta. Para quem tiver mais de dois fatores de risco, a recomendao de remdios feita em nveis mais baixos de LDL, por volta de 160. J para os indivduos sabidamente portadores de doena coronariana, recomenda-se uma abordagem mais agressiva: remdios para quem tiver LDL acima de 130, visando deix-lo abaixo de 100.

  1. Os triglicerdeos so a principal gordura originria da alimentao, mas podem ser sintetizados pelo organismo.
  2. Altos nveis de triglicerdeos (acima de 200) associam-se maior ocorrncia de doena coronariana, muito embora altos nveis de triglicerdeos costumem acompanhar-se de baixos nveis de HDL, sendo, portanto difcil apontar o verdadeiro “vilo”: se o riglicerdeo alto ou se o HDL baixo”; A ingesto de gordura, doces e alcool pode elevar os triglicerdeos, razo pela qual deve-se medir sua concentrao no sangue aps 12 horas de jejum.

Triglicerdeos muito altos, acima de 400-500, podem causar inflamao do pancreas (pancreatite) e devem, pois, ser tratados agresivamente com dieta e drogas. Volta e meia escutamos no consultrio mdico um paciente reclamando pelo fato de no ser gordo, no comer “gordura” e mesmo assim ter colesterol alto.

  1. No obstante o aumento de peso e a ingesto de gordura animal possam aumentar o colesterol, o componente hereditrio decisivo.
  2. Aquele indivduo tem colesterol alto constitutivamente, porque os instrumentos de que o organismo, mais especificamente o fgado, lana mo para remover o excesso de colesterol circulante, no existem em quantidade suficiente ou no funcionam em sua plena capacidade.

Um a cada 500 adultos tm uma anormalidade gentica que impede o organismo de processar adequadamente o LDL colesterol. Tais indivduos tero o colesterol alto mesmo ingerindo-o em quantidades pequenas. As chamadas dietas ricas em gorduras saturadas, ao contrrio das insaturadas, tm a propriedade de aumentar o colesterol.

  1. Esse tipo de gordura principalmente encontrado nos alimentos de origem animal, principalmente carne, queijos, leite integral, manteiga, cremes.
  2. A maioria dos leos vegetais, exceo feita gordura de coco e leo de cacau, rica em gorduras insaturadas e no eleva o colesterol.
  3. Os leos de oliva e canola so ricos em gorduras monoinsaturadas e podem at mesmo ter um efeito protetor contra a aterosclerose coronariana.

Infelizmente alguns leos vegetais podem ser convertidos em gorduras saturadas por processos industriais de hidrogenao: so justamente aqueles responsveis pelas margarinas “cremosas” Para comear, dieta, exerccios fsicos e perda de peso constituem o trip insubstituvel mesmo para quem precisa de remdios para baixar o colesterol.

  • A reduo da ingesto de colesterol e gorduras saturadas e o aumento no consumo de fibras pode reduzir em 10 a 15% os nveis sanguneos de colesterol e em 15 a 20% os de triglicerdeos.
  • Mas caso nveis elevados persistam com a dieta, indicam-se os medicamentos.
  • Fundamental compreender que a eficcia do uso dos redutores de colesterol em prevenir morte cardaca e infarto depende de seu uso contnuo.

No adianta tomar um medicamento caro como a pravastatina por dois ou trs meses e parar. Isto jogar dinheiro fora! A colestiramina (Questran) um preparado que deve ser misturado com lquido. Uma vez no intestino, esta substncia fixa os sais biliares e impede a absoro de gordura e colesterol.

  1. Entretanto, sua eficcia proporcional dose ingerida e, infelizmente, a tolerabilidade do organismo para doses acima de 2 a 3 saquinhos dirios bastante reduzida, podendo levar a nauseas, indigesto e constipao intestinal.
  2. Os fibratos, como o gemfibrozil (Lopid) tm mais ao sobre os triglicerdeos, ao mesmo tempo em que aumentam os nveis de HDL, o “colesterol bom”.

Os inibidores da HMG CoA redutase (mevacor, pravacol, zocor, lipitor, citalor, reducol, minor, lipobay) so os mais eficazes e bem tolerados redutores de colesterol e atuam boloqueando a sntese desta substncia pelo fgado. Elas podem reduzir o LDL colesterol em 25 at 50%, ao passo que aumentam o HDL em 5 a 10%.

  1. At o momento, cinco estudos de grande porte documentaram a eficcia destes medicamentos em prevenir infartos e morte cardaca tanto em pacientes aparentemente saudveis, como em pessoas j portadoras de doena das artrias coronrias.
  2. No custa relembrar que estes resultados favorveis so dependentes de uso continuado! Pacientes com hipercolesterolemia familiar podem necessitar de combinaes de medicamentos e, nos casos mais graves, podem necessitar de recurso a aparelhos de “dilise” que removem o colesterol da circulao semelhana de uma hemodilise para pacientes.

: SOCERJ – Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro

Como combater o colesterol LDL alto?

Diminuindo a ingestão de gordura saturada existente nas carnes gordurosas, leites e derivados integrais, polpa de coco, por exemplo, teremos redução do colesterol total e LDL- colesterol. Cuidado com o sal! Seu elevado consumo poderá ser prejudicial ao coração, devido ao aumento da pressão arterial.