Laboratorio Cianorte

Dicas, Recomendações, Ideias

Qual O Tema Central Do Texto?

O que é o tema central de um texto?

O tema é a ideia principal do texto. É com base nessa ideia principal que o texto será desenvolvido.

Como saber qual é o tema central do texto?

Língua Portuguesa: Como identificar a ideia central do texto

  • Esta proposta de atividade de Língua Portuguesa e Geografia é destinada a estudantes da 3ª série da Educação de Jovens e Adultos – EJA.
  • Nesta atividade você aprenderá a identificar a ideia central de um texto. Para que isso ocorra é preciso saber que:
  • O texto é um conjunto de ideias,
  • Para que o texto exista é preciso de alguém que o escreva e de alguém que o leia e interprete.
  • Em um texto existe uma ideia central e outras ideias secundárias que apoiam a ideia central, como: dados, explicações, causas e consequências).
  • A ideia central de um texto é aquela que permanece do início ao fim,
  • O título costuma auxiliar na identificação da ideia central.
  • Geralmente o texto também oferece pistas sobre a ideia principal.
  • Vamos responder algumas questões?

Qual O Tema Central Do Texto Fonte: – acessado em 29/09/2022. Questão 1 Leia o texto, identifique a ideia central e indique a alternativa correta. Qual O Tema Central Do Texto Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Rio_Meia-Ponte

  1. A) O rio Meia Ponte é um curso de água que banha o estado de Goiás.
  2. B) A poluição do rio Meia Ponte.
  3. C) A importância do rio Meia Ponte para o estado de Goiás.
  4. D) Parte da população quer a despoluição do rio Meia Ponte.
  5. Questão 2
  6. Leia outro trecho do texto sobre o rio Maia Ponte e identifique a ideia central.

Qual O Tema Central Do Texto Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Rio_Meia-Ponte Questão 3 Leia novamente o trecho acima, desta vez identificando as ideias secundárias do texto. Anote em seu caderno. Questão 4 Em sua opinião, como o poder público e a população de Goiás podem contribuir para a despoluição do Rio Meia Ponte? Faça uma lista das ações que você pensou e compartilhe com seus colegas.

  • Acesse os materiais referentes a essa atividade ( slides e atividade 12 para impressão) clicando aqui :
  • Saiba Mais
  • Para revisar o que foi trabalhado nesta atividade, assista ao vídeo a seguir.

Fonte: vídeo disponível em https://youtu.be/i5CnzLA2WWU

Componentes Curriculares Língua Portuguesa e Geografia
Objetivos de aprendizagem e desenvolvimento (EAJALP0349) Identificar a ideia principal do texto. (EAJAGE0316) Perceber a riqueza hídrica do estado de Goiás e em seu município, identificando seus principais componentes hidrográficos e suas vulnerabilidades.

Língua Portuguesa: Como identificar a ideia central do texto

Qual é o tema central do texto a fome negra?

Publicada no livro A alma encantadora das ruas, a crônica fala da vida dos homens que trabalhavam com minério nas ilhas da Baía de Guanabara. A escolha desse texto específica mostra um desejo de provocar e de se perfilar aos que buscam, para além dos limiares, uma reflexão sobre a vida urbana.

Qual é o objetivo de um texto?

As funções da linguagem estão relacionadas ao objetivo de um texto, que pode apresentar uma ou mais funções. Assim, você pode ser o(a) emissor(a) de um texto que exibe emoções e, portanto, tem função emotiva ou expressiva, ou que valoriza os elementos poéticos e apresenta, então, função poética.

Mas, talvez, o objetivo do texto é informar você sobre alguma coisa, por meio de uma mensagem clara e objetiva, pois tem função referencial ou denotativa. Mas se você pretende apenas manter o canal de comunicação ativo, vai ser o(a) emissor(a) de um texto com função fática ou de contato. E se quer colocar em evidência a linguagem utilizada, seu texto vai ter função metalinguística.

Porém, fique atento(a) quando alguém quiser te convencer a fazer alguma coisa, pois o emissor do texto está usando a função conativa ou apelativa. Leia também: O que são as figuras de linguagem?

O que é o tema de um texto exemplo?

Título – Tema – Parágrafo – Mundo Educação Comumente surgem questionamentos sobre a semelhança entre o título e o tema em uma produção textual. Mas será que são palavras sinônimas? Como já é do nosso conhecimento, a boa qualidade de um texto depende de uma série de fatores que colaboram para a clareza das ideias transmitidas.

  1. Todos os elementos precisam estar em sintonia entre si, principalmente o tema e o título, pois ambos mantêm uma relação de dependência, representando o assunto abordado.
  2. É preciso tomar muito cuidado para não confundir título com tema.
  3. Um é a extensão do outro, mas para que fique clara esta distinção, os conheceremos passo a passo: O Tema é o assunto proposto para a discussão, possui uma característica mais abrangente, pois é visto de uma maneira global.

Para melhor exemplificarmos, tomemos como exemplo a questão da violência. Este tema engloba vários tipos de violência, como a física, verbal, violência racial, infantil e outras. Ao delimitarmos este assunto, falando da violência em um bairro específico da cidade, estamos nos restringindo somente àquele lugar.

  1. Este, portanto, caracteriza o Título.
  2. Não esquecendo nunca de que o parágrafo é de fundamental importância na construção textual, sua principal função é de articular as ideias, fazendo com que as mesmas fiquem distribuídas de maneira clara, precisa e objetiva.
  3. A seguir, veremos um texto no qual fica evidente a marca dos itens acima relacionados: Bomba na meia-idade Em julho, a bomba atômica fez cinquenta anos.

A primeira arma nuclear da história foi testada às 5h29min45s do dia 16 de julho de 1945, em Alamogordo, Novo México, Estados Unidos. Libertou energia equivalente a 18toneladas de TNT e encheu de alegria cientistas e engenheiros que haviam trabalhado duro durante três anos para construir a bomba.

Menos de um mês depois, quando uma explosão semelhante dizimou as cidades de Hiroshima e Nagasaki no Japão, a alegria deu lugar à vergonha.

Não pare agora. Tem mais depois da publicidade 😉 Superinteressante, São Paulo, fev.2003. Destacamos como Título – Bomba na meia-idade, Tema – Os cinquenta anos de criação da bomba atômica. Os Parágrafos estão divididos em três, como bem mostra a delimitação dos mesmos no texto. : Título – Tema – Parágrafo – Mundo Educação

See also:  Qual Melhor Marca De Notebook?

Como saber qual é o tema?

Como podemos perceber, o tema é algo mais abrangente e consiste no assunto que deve ser explorado ao longo do texto. Já o título é algo mais sintético, é como se fosse afunilando o assunto que será posteriormente discutido.

Qual é o tema central do texto acima Setembro amarelo?

A prevenção do suicídio é o tema central da campanha Setembro Amarelo, e tem como objetivo chamar a atenção de todos para o assunto.

Em que parte do texto pode ser encontrada a sua ideia principal?

A introdução é uma estrutura muito importante do texto. Nela, o autor vai apresentar a ideia principal do texto.

O que significa o título do texto?

Basicamente, chamamos de título a expressão inicial que introduz a redação, mostrando o assunto e o posicionamento do texto. Chamamos de tema o assunto a ser abordado: ele dará as diretrizes do texto ao expor a ideia que deverá ser defendida ao longo de uma dissertação.

O que quer dizer a fome e negra?

Vaso ruim não quebra – Sendo elementos da oralidade que transmitem costumes, tradições ou valores, os provérbios também podem, segundo a investigadora Ana Díaz Ferrero, transmitir determinadas hostilidades latentes e estereótipos em relação a determinados grupos de pessoas, culturas ou etnias.

  1. Um exemplo paradigmático é o da comunidade cigana, visada em provérbios que a relacionam com características negativas.
  2. Um olho no burro, outro no cigano, é um exemplo de provérbio que transmite a ideia de que todas as pessoas de etnia cigana são matreiras e enganadoras, pelo que é necessário “estar alerta”.

Esta mesma explicação nos foi referida por Prudêncio Canhoto, presidente da direção da Associação de Mediadores Ciganos de Portugal, sediada em Beja. “Esses ditos populares são transmitidos às crianças”, e “aí é que começa “, afirma. Prudêncio Canhoto diz que este tipo de ideias preconcebidas, cristalizadas através de provérbios repetidos constantemente, dificultam a integração das pessoas de etnia cigana, já que perpetuam estereótipos que se tornam difíceis de combater.

Diz-se que “o cigano é malandro, o cigano não quer trabalhar, o cigano só quer direitos e não deveres. isso não é bem assim”, afirma o responsável. “Temos de desconstruir isso, esses provérbios que os pais dizem às crianças”, para que seja possível combater o estigma que persiste na sociedade portuguesa e que, conforme sublinha, é legitimado por partidos extremistas e populistas, cujas agendas têm vindo a ganhar terreno.

“A cultura de um povo expressa-se de forma muito evidente nos provérbios. Havendo discriminação evidente em todas sociedades, é natural que, depois, os provérbios também espelhem isso”, diz Joana Gorjão Henriques. A jornalista do Público, cujos trabalhos incidem maioritariamente em temas relacionados com direitos humanos, diz ter “poucas dúvidas de que existe racismo e discriminação na nossa sociedade”, facto que acaba por transparecer na comunicação oral.

  • A autora das obras Racismo em Português e Racismo no País dos Brancos Costumes (ambos editados pela Tinta da China), diz que as expressões utilizadas no quotidiano provocam uma certa “naturalização” dos preconceitos, muitas vezes de forma irrefletida.
  • Às vezes a população portuguesa não se dá conta “, afirma.

Paula Cardoso diz o mesmo. A jornalista e fundadora da plataforma Afrolink refere que a consciência de que muitos provérbios e expressões populares são racistas “não existe, de todo”. “Essa consciência começa a surgir muito a partir dos movimentos antirracistas, do movimento negro, que, obviamente, a partir do momento em que se começa a navegar sobre todo o contexto da opressão, a própria língua acaba por ser uma das expressões dessa opressão, que é histórica”, diz, frisando que, nos provérbios como noutras expressões idiomáticas, existe uma “associação do negro a coisas más”.

A gente preta não se faz a cara vermelha. Ganhá-lo como um preto, gastá-lo como um fidalgo Mulher de preto, criada de longe Amanhã jejua o preto, ainda bem que não é hoje! A inconsciência é, de acordo com Paula Cardoso, parte do problema. A falta de pensamento crítico sobre as expressões que se empregam na oralidade, muitas vezes por força do hábito, acaba por perpetuar a discriminação e reforçar a associação da pessoa negra a elementos negativos.

Há provérbios, como o caso da expressão A fome é negra, que, no entanto, podem não ter a sua origem no racismo. José de Sousa Teixeira diz que, este tipo de provérbios, estão antes relacionados com a ideia de luz e trevas, associadas a clareza, benefício e a medo, obscuridade, desconhecimento (respetivamente).

Há uma confusão terrível nos simbolismos com os nossos preconceitos atuais. Um desses simbolismos é com a cor branca e preta”, que, segundo o linguista “não reflete a cor da pele das pessoas”, mas sim a ideia de opostos já explicada anteriormente. “Na minha opinião – e na de outros linguistas – é um erro achar-se “, diz.

“É claro que, hoje em dia, como somos muito sensíveis ao racismo e a estes preconceitos, nós reinterpretamos estas expressões, e aí é que está o mal”.

O que significa a expressão fome das negras?

Estudos dizem que chegamos a pronunciar 20 mil palavras por dia. Mas você já parou para pensar no significado das palavras do nosso vocabulário? E em quantas vezes reproduzimos, mesmo sem querer, expressões e termos racistas ou que reforçam estereótipos? Nesta cartilha, apresentamos uma série de palavras e expressões que estão no nosso vocabulário cotidiano e que nos fazem reproduzir discursos preconceituosos.

Este material, elaborado pelos GTs Humanidades e Para Elas, do Programa Sesc e Senac de diversidade – Para Todos, faz um convite à reflexão e à mudança. A COISA TÁ PRETA O termo associa a palavra “preto” com uma situação desconfortável, desagradável, difícil ou perigosa. DIGA: a coisa tá difícil A DAR COM PAU Tem origem nos navios que traziam os povos escravizados, quando algumas pessoas preferiam morrer de fome a serem escravizadas.

Assim elas eram alimentadas à força com um tipo de colher de pau grande, daí vem a expressão “a dar com pau”. DIGA: bastante, muito ATÉ TENHO AMIGOS QUE SÃO NEGROS Frase de defesa quando se aponta alguma atitude ou fala racista. Não utilizar. Repense seu comportamento.

  • Vivemos em uma sociedade racista, infelizmente, ainda é comum reproduzirmos falas racistas sem nos darmos conta.
  • Não use esta expressão! CABELO RUIM, CABELO DE BOMBRIL, CABELO DURO Termos racistas usadas como bullying que depreciam a imagem e o cabelo de pessoas negras.
  • Falar mal das características dos cabelos Afro também é racismo.
See also:  Fiyat Ne Kadar?

VOCÊ DEVE FALAR: cabelo crespo, cacheado, afro COR DE PELE A expressão ficou conhecida para descrever a cor rosa-claro, fazendo referência à pele de pessoas brancas. Porém, como já é sabido, não existe apenas uma cor de pele, vivemos uma sociedade mista e plural.

  1. SUBSTITUA POR: rosa-claro ou bege COR DO PECADO Utilizada erroneamente como elogio, se associa ao imaginário da mulher negra sensualizada.
  2. Em uma sociedade pautada na religião, pecar não é positivo, ser pecador é errado, e ter a ruim.
  3. Outra expressão que faz a mesma associação de que negro = negativo.

não use esta expressão! COISA/SERVIÇO/TRABALHO DE PRETO Usado para descrever um serviço mal feito. O termo é carregado de preconceito, uma vez que descreve as pessoas negras como incapazes e preguiçosas. Jamais use estas expressões! SUBSTITUA POR: trabalho errado CRIADO MUDO Você sabia que o nome dado a este móvel faz referência aos criados (geralmente escravizados) que deviam segurar objetos para seus senhores? Como estes criados não podiam falar, eram considerados mudos, daí o termo criado-mudo.

  • DIGA: mesa de cabeceira DENEGRIR Tem como real significado “tornar negro”, “escurecer”.
  • É usado para difamar ou acusar injustiça por outra pessoa, sempre usado de forma pejorativa, ou seja, utilizar esta palavra pejorativa é extremamente racista.
  • USE ENTÃO: difamar DOMÉSTICA Domésticas eram as mulheres negras que trabalhavam dentro da casa das famílias brancas e eram consideradas domesticadas.

DIGA: empregada, funcionária ESCRAVO Este termo trata os africanos como passivos e desprovidos de subjetividade. Os africanos que vieram para o Brasil eram pessoas, reis, rainhas, camponeses, homens e mulheres escravizados contra a sua vontade. SUBSTITUA POR: pessoas escravizadas e escravidão por escravização FAZER NAS COXAS Acredita-se que a expressão vem da técnica utilizada pelos escravizados para fazer telhas.

  • Por serem artesanais e seguirem os formatos dos corpos, as peças não se encaixaram bem umas nas outras, sendo consideradas mal feitas.
  • FALE: mal feito HUMOR NEGRO Usam para descrever um tipo de humor ácido e com piadas de mal gosto com temas mórbidos, sérios ou tabus com tom politicamente incorreto.
  • VOCÊ PODE USAR: humor ácido INDIADA Utilizado para descrever um passeio, atividade ou viagem que não deu muito certo, algo trabalhoso, difícil ou até mesmo chato.

O termo é pejorativo, pois “indiada” se refere a um grupo ou conjunto de índios. FALE: atividade ruim, viagem chata INVEJA BRANCA Associa o “negro” ao negativo, a algo que faz mal e o “branco” ao que é positivo, uma inveja boa, um sentimento do bem. USE APENAS: inveja JUDIARIA Do verbo “judiar”, significa tratar como os judeus foram tratados.

  1. É usado como sinônimo de fazer sofrer, atormentar, maltratar ou ainda com tom de pena.
  2. A palavra possui uma carga negativa e preconceituosa muito grande.
  3. SUBSTITUA POR: sofrimento, maltrato LISTA NEGRA Usada para descrever pessoas que, por alguma razão negativa, estão excluídas de certos grupos, ou ainda que uma pessoa está sendo perseguida.

Mais uma vez a palavra “negra” é usada como algo negativo. DIGA: lista proibida/restrita MERCADO NEGRO Muito usado para se refererir a um sistema de compras e vendas clandestino, ilegal. SUBSTITUA POR: mercado clandestino MORENO(A) Pessoas acreditam que chamar alguém de negro ou preto é ofensivo.

Falar “morena” ou “mulata”, embranquecendo a pessoa, “amenizaria” o “incômodo”. Você deve se referir a pessoa pelo nome ou questioná-la como ela prefere ser descrita. MULATO(A) A palavra significa literalmente: mula, a cruza de um asno macho com uma égua. O termo surge na época da escravização, quando muitas mulheres escravizadas eram violentadas por “seus senhores” e tinham filhos que eram chamados de mulatos.

SUBSTITUA POR: pardo(a) ou mestiço(a) NÃO SOU TUAS NEGAS Trata a mulher negra como “qualquer uma” ou “de todo mundo”, relembra o tratamento às mulheres escravizadas que eram, seguidamente, assediadas e estupradas. A frase deixa explícita que com “as negras pode tudo”, e com as demais não se pode fazer o mesmo, e no tudo está incluso desfazer, mal tratar.

  • Portanto, além de profundamente racista, o termo é carregado de machismo.
  • Não use esta expressão! NEGA MALUCA Há uma lenda que diz que o termo foi criado quando uma mulher escravizada estava fazendo um bolo e acidentalmente deixou cair cacau em pó na receita e, ao invés de descartar a massa, seguiu criando o bolo de chocolate.

O termo reforça estereótipos. DIGA APENAS: bolo de chocolate NHACA Desde a época colonial o termo é usado para falar de algo com cheiro forte, desagradável. O que pouca gente sabe é que Inhaca é uma ilha de Moçambique e é daí que vem o uso do termo, mais uma vez para reforçar estereótipos e preconceitos.

DIGA APENAS: cheiro ruim TEM O PÉ NA COZINHA Usada de forma preconceituosa para falar de pessoas de origem negra, uma vez que na época da escravização, este era o espaço destinado às mulheres negras. não use este termo! SAMBA DO CRIOULO DOIDO É o título de uma canção de samba, composta por Sérgio Porto (pseudônimo de Stanislaw Ponte Preta), que ironizava a obrigatoriedade de as escolas de samba retratarem em seus enredos apenas temas de fatos histórico.

Porém a expressão debochada reforça um estereótipo e descriminação aos negros. DIGA: confusão, trapalhada, bagunça

Quais são todos os gêneros textuais?

Relação entre Gêneros e Tipos Textuais – Além dos gêneros textuais, existe outra categoria de classificação dos textos: os tipos textuais. A tipologia textual classifica os textos quanto à forma, isto é, como os seus elementos linguísticos estruturais (sintáticos, lexicais, sequenciais e composicionais) se organizam para que o texto cumpra com a sua função comunicativa.

  1. Diferentemente dos gêneros, os tipos textuais são estruturas fixas, imutáveis.
  2. Existem cinco tipos textuais: narrativo, descritivo, argumentativo, injuntivo e expositivo,
  3. Cada um desses tipos pode conter diversos gêneros textuais.
  4. Um texto do tipo narrativo, por exemplo, contém os gêneros romance, crônica, piada, entre outros.
See also:  ZerdT Ne Demek?

Já os gêneros textuais, por conta da sua flexibilidade, podem conter mais de um tipo textual, sendo um deles predominante. O gênero crônica, por exemplo, contém elementos dos tipos narrativo e argumentativo, mas é predominantemente narrativo. Podemos afirmar, portanto, que enquanto os gêneros textuais estão mais ligados à concretude do processo comunicativo, a tipologia textual está mais relacionada ao aspecto teórico, mais formal da linguagem. Qual O Tema Central Do Texto

O que é necessário antes de redigir um texto?

Antes de tudo, você precisa conhecer muito bem o tema, o propósito e o objetivo do seu texto. Tal etapa precede o início da redação.

Como define um tema?

O que é um tema de pesquisa? – A definição do tema de pesquisa é a etapa mais importante de um estudo, mas está longe de ser a última. A escolha da temática é o pontapé inicial para as etapas seguintes:

Delimitação do tema; Definição do problema de pesquisa; Definição dos objetivos.

Após o fechamento de cada um desses tópicos, seu tema passará a ser um objeto de investigação. Deixando de ser apenas uma ideia e tendo um escopo de abordagem estabelecido, é possível avançar na elaboração do seu projeto. Não se esqueça que a temática deve ser relevante, atual e possuir originalidade. Além disso, é importante salientar que o tema e o recorte são coisas diferentes:

TEMA: é uma ideia geral e indefinida sobre um assunto. Exemplo: “Produção de geleia de banana”. TEMA DELIMITADO: possui uma demarcação no tempo e no espaço, além de direcionamentos bem específicos de abordagem. Exemplo: “Produção de geleia sem açúcar a partir de banana-prata em ambiente controlado”.

A delimitação será feita conforme a sua área. Se você estuda história, provavelmente, precisará de um recorte temporal. Se você estuda literatura, poderá delimitar de acordo com um gênero ou um autor. Confira logo abaixo as dicas que vão te ajudar nesta tarefa!

Qual é o tema central do texto Asa Branca?

História de Asa Branca – O hino sertanejo “Asa Branca” foi escrito em 3 de março de 1947 por Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira. A música tem uma letra incrível e um significado interessante, então não é à toa que logo estourou no Brasil. O nome “Asa Branca” vem de uma ave que possui natureza migratória e consegue voar a longas distâncias e altitudes.

  • Asa Branca fala com muita sutileza de um problema muito sério: a seca do sertão.
  • A forma como descreve as paisagens, a sazonalidade e os animais rendeu a Luiz Gonzaga o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).
  • Veja o que Severino Mendes, o professor de ecologia da UFRPE que sugeriu a indicação, falou sobre o assunto: A canção está relacionada à época de seca, e reforça a sazonalidade da região.

Luiz Gonzaga era um profundo observador da natureza e do clima do sertão, e por isso indicamos ele ao título.

Como saber qual o tipo de texto?

O gênero textual é identificado com base no objetivo, na função e no contexto do texto. São as características do texto que determinam a qual gênero ele pertence. Os gêneros variam de acordo com a intenção comunicativa e com as particularidades em relação à linguagem, à estrutura e ao conteúdo.

Qual é o tema central do texto Fala Sério Mãe?

Fala Sério, Mãe é carismática crônica sobre crescimento dos filhos – Assim, o longa-metragem descreve as queixas e alegrias de uma mãe coruja chamada Ângela Cristina. Isso em relação à filha primogênita Maria de Lourdes, a Malu. Além disso, aborda as teimosias e o sentimento de opressão desta em função dos cuidados, muitas vezes excessivos, de sua genitora.

Com isso, o filme fatos que acontecem no dia-a-dia entre pais e filhos. Da separação dos pais à perda da virgindade, Fala Sério, Mãe é quase uma crônica sobre o crescimento dos filhos. O filme agrada enquanto entretenimento passageiro e até chega perto de emocionar, principalmente por causa das atrizes.

Porém, uma análise mais aprofundada não poupa a percepção de evidente machismo no roteiro. Isso porque a mãe, que faz parte da dupla de protagonistas, tem como maior “prêmio” por seu cuidado e ações a felicidade da filha em detrimento do próprio bem-estar.

Em que parte do texto pode ser encontrada a sua ideia principal?

A introdução é uma estrutura muito importante do texto. Nela, o autor vai apresentar a ideia principal do texto.

Qual é a ideia central do texto carta aberta à população?

A carta aberta é um texto com a função de defender uma opinião para convencer seu destinatário. Quanto a seu leitor, a carta aberta se diferencia da carta pessoal pois aquela é direcionada a uma audiência ampla — os moradores de um bairro, a prefeitura ou mesmo toda a população brasileira.

Como é a organização do texto e da ideia central?

ORGANIZAÇÃO DO TEXTO E IDÉIA CENTRAL –

  1. Um texto para ser compreendido deve apresentar idéias seletas e organizadas, através dos parágrafos que é composto pela idéia central, argumentação e/ou desenvolvimento e a conclusão do texto.
  2. Podemos desenvolver um parágrafo de várias formas:
  3. Declaração inicial;
  4. Definição;
  5. Divisão;
  6. Alusão histórica.

Serve para dividir o texto em pontos menores, tendo em vista os diversos enfoques. Convencionalmente, o parágrafo é indicado através da mudança de linha e um espaçamento da margem esquerda. Uma das partes bem distintas do parágrafo é o tópico frasal, ou seja, a idéia central extraída de maneira clara e resumida.