Laboratorio Cianorte

Dicas, Recomendações, Ideias

Turquia Fica Em Qual Continente?

Porque a Turquia pertence a dois continentes?

A única cidade do mundo que fica localizada em dois continentes Cidade foi a capital do Império Romano do Oriente e do Império Otomano até 1923, cujo governante máximo, o sultão, foi durante séculos reconhecido como califa, o chefe supremo de todos os muçulmanos Istambul – Turquia/ Foto: Adobe Stock Istambul é a maior cidade da Turquia e uma das maiores do mundo. Mas o que destaca a cidade e a maioria desconhece é que Istambul é a única cidade no mundo situada em dois continentes. O estreito de Bósforo, símbolo da cidade, separa Europa e Ásia.

A localização entre os continentes e os mares fez de Istambul um lugar central para comércio, transporte e economia. Por causa dessa divisão, a Turquia é considerada uma nação transcontinental, assim como a Rússia (que pertence à Ásia e à Europa), o Egito (Ásia e África), entre outros países. Foi a capital do Império Romano do Oriente e do Império Otomano até 1923, cujo governante máximo, o sultão, foi durante séculos reconhecido como califa, o chefe supremo de todos os muçulmanos, o que fazia da cidade uma das mais importantes de todo o Islã.

Atualmente, embora a capital do país seja Ancara, Istambul continua a ser o principal polo industrial, comercial, cultural e universitário (aí estão sediadas mais de uma dezena de universidades) do país. É a sede do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla, sede da Igreja Ortodoxa.

Qual é o continente da Turquia?

República da Turquia – País da Ásia e da Europa.

Qual parte da Turquia faz parte da Europa?

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Mapa topográfico da Turquia A praia de Olimpos, na região do Mediterrâneo A Turquia é um país transcontinental situado na Eurásia cujo território é aproximadamente um retângulo, localizado entre as coordenadas 36° a 42° norte e 26° a 45° leste, com cerca de 1 500 km na direção leste-oeste, 1 650 km na direção sudeste-noroeste e entre 450 e 650 km na direção norte-sul.

A oeste do mar de Mármara e dos Estreitos Turcos situa-se a parte europeia, a Trácia Oriental, que constitui 3% (23 764 km²) da área do país. A leste situa-se a parte asiática, a península da Anatólia, a qual constitui 97% (755 688 km²) da Turquia. A área total, incluindo lagos, é de 779 452 km², o que faz do país o 36º do mundo em superfície.

As variadas paisagens da Turquia são o produto de complexos movimentos telúricos que deram forma à região ao longo de milhões de anos e ainda se manifestam em terramotos relativamente frequentes. As últimas erupções vulcânicas ocorreram em tempos históricos, nomeadamente no monte Argeu, próximo da atual Kayseri,

  • O Bósforo, os Dardanelos e o Mar Negro devem a sua existência às falhas geológicas que atravessam o território turco.
  • Os terramotos na Turquia são provocados principalmente pela Falha Setentrional da Anatólia ( Kuzey Anadolu Fay Hattı ), que percorre todo o norte, paralelamente à costa do mar Negro, e à Falha Oriental da Anatólia ( Doğu Anadolu Fay Hattı ), que corre paralelamente à costa mediterrânica desde o mar Morto, encontrando-se com a Falha Setentrional no nordeste da Anatólia.

A maior cidade do país e da Europa, Istambul (anteriormente chamada Bizâncio, depois Constantinopla ), encontra-se entre a Trácia e a Anatólia, dividida ao meio pelo estreito do Bósforo, Trata-se da única cidade do mundo situada em dois continentes.

Qual país da Europa mais perto da Turquia?

Onde fica a Turquia? – Turquia Fica Em Qual Continente Fonte: Pexels A Turquia é um dos maiores países transcontinentais do mundo, isto é, fica localizado entre dois continentes, a Europa e a Ásia, com o Mar Negro ao norte e o Mediterrâneo ao sul. A maior parte do país fica no continente asiático, fazendo fronteira com a Geórgia, o Azerbaijão, a Armênia, o Irã, o Iraque e a Síria.

Qual é a língua que se fala na Turquia?

O idioma oficial da Turquia é o turco, mas muita gente sabe falar inglês e também espanhol em Istambul.

Qual era o antigo nome da Turquia?

6 fevereiro 2023 A república moderna e secular da Turquia foi estabelecida nos anos 1920 pelo líder nacionalista Kemal Ataturk. Antes do nascimento da atual Turquia, a região fazia parte do Império Otomano desde o século 15, quando a cidade de Constantinopla – hoje Istambul – foi tomada pelos otomanos.

  • Até então, ela era a capital do Império Romano do Oriente, tendo sido fundada pelos romanos com o nome de Bizâncio.
  • Com território que se estende da Europa à Ásia, a localização estrategicamente importante da Turquia deu-lhe uma grande influência na região – e controle sobre a entrada do Mar Negro.
  • A cidade de Istambul divide-se entre os continentes europeu e asiático, com o Estreito de Bósforo separando os dois lados.

Depois da morte de Ataturk, em 1938, o Exército viu-se como um poder protetor da Constituição. Nessa posição, repetidamente derrubou governos que considerava ameaças aos valores seculares da república. A entrada da Turquia na União Europeia tem sido durante muitos anos uma grande ambição do país. Turquia Fica Em Qual Continente Crédito, Getty Images Legenda da foto, Istambul, maior cidade da Turquia, é dividida entre Europa e Ásia, com o Estreito de Bósforo separando os dois lados Com a chegada de Recep Tayyip Erdogan ao comando do país e a concentração de poder em suas mãos, a possibilidade de a Turquia entrar para o bloco europeu tornou-se ainda mais remota. Getty Images República da Turquia Capital: Ankara

População 80 milhões Área 779.452 quilômetros quadrados Principais línguas Turco (oficial), curdo Principal religião Islã Expectativa de vida 72 anos (homem), 79 anos (mulher) Moeda Lira turca

Fonte: ONU, Banco Mundial LÍDER Presidente: Recep Tayyip Erdogan Turquia Fica Em Qual Continente Crédito, Getty Images Legenda da foto, Recep Erdogan mudou a Constituição turca para introduzir o presidencialismo, aumentando o poder de seu cargo Além de obter um novo mandato nas eleições presidenciais de junho de 2018, Recep Tayyip Erdogan também ganhou significativos novos poderes sob um novo sistema, aprovado pelos eleitores no ano anterior.

Ele chegou ao poder pela primeira vez em 2003, numa ampla vitória eleitoral de seu grupo político, o Partido Justiça e Desenvolvimento (AKP), de caráter islamista e do qual ele é um membro fundador. Erdogan passou 11 anos como primeiro-ministro turco antes de se tornar o primeiro presidente diretamente eleito em agosto de 2014 – um cargo que, supostamente, deveria ser mais figurativo.

Seus seguidores o valorizam por ter proporcionado anos de crescimento econômico à Turquia, mas seus críticos o veem como um líder autocrático, intolerante com dissidentes e que silencia duramente qualquer um que se oponha a ele. Em julho de 2016, o governo do AKP sobreviveu a uma tentativa de golpe, em que confrontos nas ruas de Istambul e Ancara deixaram 256 mortos.

As autoridades posteriormente detiveram milhares de soldados, juízes, professores e funcionários públicos suspeitos de envolvimento na tentativa de derrubar o governo. Segundo o presidente Erdogan, o frustrado levante foi inspirado pelo opositor exilado Fethullah Gulen. Um referendo em 2017 aprovou, numa votação apertada, uma mudança constitucional que deu ao país um sistema presidencial, o que aumentou significativamente os poderes de Erdogan.

MÍDIA O setor de mídia turco é vibrante, com centenas de estações privadas de rádio e TV competindo com a empresa de comunicações estatal, a TRT. A televisão é de longe o meio de comunicação mais influente, e tanto a imprensa como os meios eletrônicos são operados por empresas poderosas. Turquia Fica Em Qual Continente Crédito, Getty Images Legenda da foto, A imprensa na Turquia tem sido alvo de processos e intimidação por parte do governo do país Para jornalistas, as Forças Armadas, os curdos e os aspectos políticos do islã são temas extremamente sensíveis, cuja cobertura pode levar à prisão e a processos judiciais.

Algumas das restrições mais repressivas foram eliminadas no processo visando a entrada na União Europeia, mas ainda é um crime insultar a nação turca e o presidente do país. Uma onda de processos contra jornalistas sob o governo de Erdogan gerou novas preocupações sobre a liberdade de imprensa na Turquia.

RELAÇÕES COM O BRASIL As relações entre Brasil e Turquia nasceram quando ambos não eram meros países, eram impérios. No caso do Brasil, a categoria refletia apenas o sistema político, para os turcos tratava-se de um império que incluía os Bálcãs, Egito, Iraque, Israel, Síria, além de Tunísia, norte da Líbia e outras partes do Oriente Médio.

No âmbito dessa diferente configuração, em 1858 o Império do Brasil e o Império Otomano assinaram o Tratado Bilateral de Amizade e Comércio. Em 1927, um novo Tratado de Amizade foi assinado, dessa vez entre a ainda jovem República da Turquia e um Brasil agora republicano. Cordiais, as relações tornaram-se mais próximas no início do século 21.

Em 2009, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva tornou-se o primeiro chefe de Estado brasileiro a visitar a Turquia. No ano seguinte, Brasília e Ancara propuseram um acordo ao Irã na tentativa de encerrar o impasse sobre seu programa nuclear. O acordo, que previa que o Irã enviasse urânio para ser enriquecido no exterior, não foi colocado em prática por não ter sido aceito pelos Estados Unidos.

A iniciativa, no entanto, aproximou Brasil e Turquia, que na época eram duas forças emergentes política e economicamente, representando duas partes diferentes do mundo. A aproximação política levou a um aumento do comércio bilateral, que saltou de US$ 1,15 bilhão por ano em 2008 para US$ 2,89 bilhões em 2018 – com uma balança fortemente favorável ao Brasil.

LINHA DO TEMPO Importantes datas na história da Turquia: Antiguidade – Região constantemente invadida e dominada por gregos, persas e outros povos.324 – A cidade de Bizâncio, atual Istambul, é escolhida pelo imperador Constantino como nova capital do Império Romano.

Posteriormente, a cidade passaria a se chamar Constantinopla.1453 – O sultão Mehmed II – conhecido como Mehmed, o Conquistador – captura a cidade de Constantinopla, acabando com o Império Bizantino e consolidando o Império Otomano na Ásia Menor e nos Bálcãs. Séculos 15 e 16 – Expansão na direção da Ásia e da África.1683 – O avanço otomano na Europa é contido na Batalha de Viena.

Começa um longo declínio do império.1908 – A Jovem Revolução Turca estabelece um regime constitucional, mas acaba virando uma ditadura militar durante a Primeira Guerra Mundial, em que o Império Otomano luta numa aliança com a Alemanha e o Império Áustro-Húngaro.1918-22 – A partilha do derrotado Império Otomano leva ao eventual triunfo do Movimento Nacional Turco numa guerra de independência contra a ocupação estrangeira e o regime do sultão.1923 – A Turquia declara a criação de uma república com Kemal Ataturk como presidente. Turquia Fica Em Qual Continente Crédito, Getty Images Legenda da foto, Santa Sofia, originalmente uma catedral e um museu desde 1935, voltou a ser usada como mesquita 1960 – Golpe militar contra o governo do Partido Democrático.1974 – Tropas turcas ocupam o norte de Chipre, dividindo a ilha.1984 – O grupo curdo PKK lança uma campanha guerrilheira separatista que se torna um conflito civil que permanece ativo por décadas.2011 – Guerra civil na Síria começa, levando a tensão na fronteira com a Turquia e um enorme fluxo de refugiados sírios para a Turquia.2013 – Protestos contra a reurbanização do parque Taksim Gezi transformam-se em uma onda de manifestações contra o governo, acusado de ameaçar o secularismo no país.2016 – Golpe militar contra o presidente Erdogan fracassa.2017 – Referendo aprova a mudança de sistema, de parlamentarismo para presidencialismo, aumentando o poder de Erdogan.2020 – Governo permite que a Santa Sofia, referência turística de Istambul e mantida como um museu desde 1935, volte a ser usada como mesquista para orações.

Construída em 537 como catedral do então Império Romano do Oriente, ela já havia sido transformada em mesquita após a tomada da cidade pelos otomanos, em 1453.2023 – Um forte terremoto de magnitude 7,8 atinge a fronteira entre Turquia e Síria causando a morte de centenas de pessoas além de grande destruição.

No lado turco, a cidade de Kahramanmaraş no leste do país recebeu o maior impacto do tremor e registrou grande número de vítimas.

O que divide a Turquia em Ásia e Europa?

Nesse momento, informe o Estreito de Bósforo é um marco fronteiriço que divide Europa e Ásia e que a Turquia é considerada uma nação transcontinental, pois apresenta seus territórios nos dois continentes, como pode ser observado no mapa.

See also:  Malik Ne Demek?

O que a Rússia e a Turquia têm em comum?

Rússia e Turquia são dois países em posições geográficas extremamente estratégicas, que conectam o continente Europeu ao continente Asiático. Evidências teóricas e históricas comprovam as suas centralidades para a dinâmica internacional de ambos espaços geopolíticos.

O que produz a Turquia?

Agricultura e Pecuária A Turquia é um dos países mais importantes do mundo em termos de produção agrícola, particularmente na produção de alimentos. Em termos de tamanho de terras férteis, quase 29% das terras do país é composta de florestas, enquanto 35% são terras aráveis. Enquanto 18.4% da terra cultivada são irrigadas, 81.6% está seca. Os produtos plantados correspondem a 76% do total da produção agrícola, enquanto a pecuária tem uma quota de 24%.

  1. A produção de frutas representam mais de três quartos dos produtos de origem vegetal, onde o trigo é a principal cultura.
  2. Embora com variações a cada ano, a Turquia é o maior produtor mundial de damascos secos, avelãs e figos secos, o quinto maior produtor de grãos, algodão, tabaco, azeitonas, uvas secas, vegetais e frutas e o décimo maior produtor de trigo, cevada, amêndoas, frutas cítricas e de chá.

As conveniências de infraestrutura que o Estado tem proporcionado para a irrigação e cultivo, tiveram um efeito significativo e positivo sobre o desenvolvimento do setor agrícola na Turquia e resultaram em considerável aumento da eficiência e produção. Em 2009, as exportações de produtos agrícolas aumentaram para aproximadamente 11 bilhões de dólares. No mesmo ano, 5000 milhões de dólares foram pagos aos agricultores como apoio à agricultura. Pecuária: A participação total de criação de animais de produção agrícola é de cerca de 25%. O seu objetivo é aumentar este número para cerca de 50% no médio prazo, de acordo com o “Programa de Reestruturação Agrícola”. O número de cabeças de gado totalizam aproximadamente 10 milhões de ovinos e cerca de 30 milhões de euros. Na Turquia, pecuária e culturas para alimentação animal, inseminação artificial, produtos de origem animal da agricultura, pecuária e de água e a produção de leite são apoiados. Em 2009, apoio no valor de 896 milhões de dólares foi dado a este setor. A Turquia atingiu o nível das nações desenvolvidas no setor avícola. Ela está entre os 20 maiores produtores de carne de frango por ano no mundo. Apoio de Desenvolvimento Rural, sob a forma de subsídios para assegurar a integração da indústria da agricultura, começaram a ser prestados em 81 cidades. Além disso, a Lei de Seguro Agrícola foi adotada para compensar as perdas dos produtores afetados por desastres naturais. De acordo com o programa, que foi posto em vigor em 1 de junho de 2006, 50% das apólices de seguros de produtores são por conta do Estado. Fonte: Direção Geral de Imprensa e Informação do Primeiro Ministério da Turquia, 2010

Como é a qualidade de vida na Turquia?

Como vai a vida? – A Turquia alcançou importante progresso na melhoria da qualidade de vida de seus cidadãos ao longo das duas últimas décadas. Apesar disso, a Turquia apresenta um bom resultado apenas em algumas poucas dimensões de bem-estar em comparação a outros países do Índice para uma Vida Melhor.

A Turquia está abaixo da média em: emprego, equilíbrio vida-trabalho, educação, saúde, qualidade do meio ambiente, conexões sociais e satisfação com a vida. Essas avaliações baseiam-se em dados selecionados disponíveis. O dinheiro, embora não possa comprar a felicidade, é um meio importante de se obter padrões superiores de vida.

Na Turquia, a renda média doméstica disponível líquida ajustada per capita é inferior à média da OCDE de US$ 33.604 por ano. Com relação ao índice de emprego, 52% das pessoas com idades entre 15 a 64 anos na Turquia têm emprego remunerado, abaixo da média de empregos da OCDE de 68%, e uma das mais baixas da OCDE.

  • Aproximadamente 71% dos homens têm um emprego remunerado, comparado a 32% das mulheres.
  • Na Turquia, 33% dos empregados trabalham horas extras, a taxa mais alta da OCDE, onde a média é de 11%.
  • Cerca de 36% dos homens trabalham horas extras, comparado a apenas 25% das mulheres.
  • Boa educação e qualificações são requisitos importantes para conseguir um emprego.

Na Turquia, 39% dos adultos com idades entre 25 e 64 anos concluíram o ensino médio, muito abaixo da média da OCDE de 79%, e uma das taxas mais baixas da OCDE. Isto se aplica mais aos homens do que às mulheres, pois 43% dos homens concluíram o ensino médio, comparado a 35% das mulheres.Em termos da qualidade de seu sistema educacional, o aluno médio obteve pontuação de 425 no domínio de leitura, matemática e ciências, no Programa Avaliação de Estudante Internacional (PISA- iniciais em inglês) da OCDE, abaixo da média da OCDE, de 486.

Em média, na Turquia, as meninas superaram o desempenho dos meninos em 9 pontos, mais do que a diferença média da OCDE de 2 pontos. Com relação à saúde, a expectativa de vida no nascimento, na Turquia é 78 anos, dois anos a menos do que a média da OCDE de 80 anos. A expectativa de vida das mulheres é de 81 anos, comparada a 75 anos para os homens.

O nível de PM2,5 atmosféricas – minúsculas partículas de poluentes do ar pequenas o suficiente para entrar e causar danos aos pulmões – é de 20,0 microgramas por metro cúbico, muito acima da média da OCDE, de 13,9 microgramas por metro cúbico. A Turquia também apresenta desempenho abaixo da média da OCDE em termos de qualidade da água, pois 65% das pessoas declaram estar satisfeitas com a qualidade de sua água, abaixo da média da OCDE, de 81%.

  1. No que diz respeito à esfera pública, há um moderado senso comunitário e altos níveis de participação cívica na Turquia, onde 86% das pessoas acreditam conhecer alguém com quem poderiam contar em um momento de necessidade, menos do que a média da OCDE de 89%.
  2. A participação eleitoral, uma medida da participação dos cidadãos no processo político, foi de 86% durante as últimas eleições,

Este número é maior que a média da OCDE de 68% e reflete a prática de obrigatoriedade do voto na Turquia. A participação eleitoral para os 20% mais favorecidos da população está estimada em 89% e para os 20% menos favorecidos da população está estimada em 84%, uma diferença muito menor do que a diferença média da OCDE, de 13 pontos percentuais, sugerindo que há ampla inclusão social nas instituições democráticas da Turquia.

Qual é o nome da moeda turca?

Desde 1º de janeiro de 2009, a moeda oficial da Turquia é a Lira Turca (TL). A nova moeda substitui a Nova Lira Turca implementada em 2005 e que, depois de quatro anos de utilização, mudou de nome.

Qual é o país mais perto da Turquia?

Geografia da Turquia – A Turquia está localizada entre a porção mais sudeste da Europa e a mais sudoeste da Ásia. O território turco faz fronteira com Bulgária, Grécia, Geórgia, Armênia, Irã, Iraque e Síria, Os mares que banham a Turquia são o Mármara, o Negro, o Egeu e o Mediterrâneo. Turquia Fica Em Qual Continente Praia no litoral da Turquia.

Relevo da Turquia: é bastante heterogêneo, com forte presença de montanhas no interior, fruto de processos geomorfológicos recentes chamados de dobramentos modernos. Já as planícies estão concentradas ao longo do litoral do país. A Turquia é uma região sujeita a inúmeros tremores de terra e registrou fortes terremotos ao longo da sua história. Clima da Turquia: é do tipo temperado, com suas variações fortemente influenciadas pela presença de umidade. O clima mais ameno e chuvoso predomina ao longo do litoral do país, inclusive em regiões com tendência ao registro de clima mediterrânico. Já no interior, predomina uma variável do temperado continental, com clima mais seco e registro de maiores amplitudes térmicas. Vegetação da Turquia: é formada principalmente por estepes, Já nas regiões litorâneas, predomina a vegetação mediterrânica, enquanto no interior mais úmido há manchas de floresta temperada.

A hidrografia local é formada por rios de grande extensão e magnitude, como o Kura e o Aras. Na Turquia estão situadas as nascentes dos rios Tigres e Eufrates,

Qual a melhor época para ir para a Turquia?

Melhor época para ir à Turquia – Primavera (abril a maio) e outono (setembro a outubro) são as melhores épocas, uma vez que o clima será perfeito para passear em Istambul, no Mar Egeu e na costa do Mediterrâneo, e vai ser agradável na Anatólia Central.

Visitar antes de meados de junho ou depois de agosto também pode ajudar a evitar mosquitos. Para quem deseja aproveitar as praias, meados de maio a setembro é perfeito para o Mar Egeu e a costa do Mediterrâneo. A costa do Mar Negro é mais visitada entre abril e setembro – ainda choverá, mas não tanto.

É indicado viajar para o leste da Turquia do final de junho a setembro, mas não antes de maio ou depois de meados de outubro, a menos que se esteja preparado para a neve, fechamento de estradas e temperaturas muito baixas.

Quantas horas de viagem até Turquia?

Quantas horas de voo do Brasil para a Turquia? Para chegar à Turquia de forma mais rápida você pode optar por um voo direto. Geralmente eles partem de São Paulo e têm duração média de 13 horas.

Qual é a religião oficial da Turquia?

A religião islâmica é praticada por 99,8% dos turcos, sendo a maioria adepta da corrente sunita. Cerca de 25% da população turca correspondem a grupos étnicos minoritários, como é o caso dos curdos.

Como são os turcos?

O Chá Preto – A bebida nacional dos Turcos é o chá-preto que é feito das folhas de chá-preto cultivadas na região do Mar Negro, e servidas num copo pequeno com açúcar. Os Turcos amam essa bebida de um jeito que eles não passam um dia sem tomar um ou dois copos de chá. Então quando você viajar para lá não deixe de aproveitar. Costumes e Tradições Turcas Turquia Fica Em Qual Continente Outra tradução que é muito carinhosa e calorosa, é que em vez de comer cada um em seu prato individual, eles colocam a comida toda em pratos grandes e todo mundo come junto. Essa tradição não é usada frequentemente. Costumes e Tradições Turcas No fim podemos dizer que os Turcos são um povo simpático e doce com costumes e tradições calorosas Você nunca vai sentir sozinho, pelo contrário vai sentir como se estivesse entre a sua própria família, sempre sendo muito querido(a) e bem-vindo(a). Turquia Fica Em Qual Continente Outras tradições comum e cotidianos que você precisa saber para se prepare antes de viajar para a Turquia e os seguintes,

Qual é o idioma mais difícil do mundo?

1. Árabe. Você já deve ter ouvido falar que o português tem uma infinidade de palavras originadas do árabe. É o caso de azeite (‘az-zayt’, suco de azeitona), açúcar (‘as-sukkar’, areia branca), almofada (al-muẖaddâ, o lugar da face) e tantas outras começadas com o prefixo ‘al’.

Que país colonizou a Turquia?

História da Civilização Turca – Curiosidade da Civilização Turca A primeira civilização importante da Anatólia foi a dos hititas, entre 1900 e 1200 a.C. Os frígios dominaram a região entre os séculos IX e VIII a.C.; no século VII a.C., os lídios fundaram um reino nas costas do mar Egeu, que foi ocupado pelos persas de Ciro II, o Grande, em 546 a.C.

  1. A cidade de Éfeso, na Turquia, reconstitui uma antiga cidade grega situada na costa ocidental da Ásia Menor.
  2. A via Arcadiana (na imagem) é uma calçada de mármore construída durante o reinado do imperador Arcádio (395-408 d.C.).
  3. Seu trajeto inicia-se na área central do porto e termina no teatro da cidade.

Este teatro greco-romano foi edificado no período helenístico. Governantes posteriores modificaram a estrutura do edifício e os traços que ainda se conservam parecem totalmente romanos. No século IV a.C., o território foi dominado por Alexandre Magno. Nos séculos II e I a.C., chegaram os romanos.

See also:  Qual Tipo Sanguineo Doador Universal?

Depois da divisão do Império Romano no século IV d.C, a Ásia Menor passou a fazer parte do Império Bizantino, cuja capital era Constantinopla ou Bizâncio. No século XI, a Ásia Menor sofreu a invasão dos seldjúquidas turcos, que foram derrotados pelos mongóis de Gengis Khan. Na Anatólia, os nômades turcomanos fundaram uma série de principados.

O monte Ararat, que se levanta nas terras altas do leste da Turquia, possui dois cumes; o mais alto, o Grande Ararat, com 5.122 m de altitude, está coberto de neves perpétuas. Segundo o Antigo Testamento, foi neste cume que a arca de Noé desembarcou. Osman I, fundador da dinastia otomana, contratou os serviços de numerosos nômades turcomanos, árabes e iranianos que fugiam dos mongóis.

  1. A partir de 1326, os otomanos passaram a controlar o sistema administrativo, financeiro e militar da área.
  2. A expansão otomana na Europa começou com o reinado de Orjan.
  3. Os soldados otomanos (janízaros) ocuparam vários territórios bizantinos na Trácia e na Macedônia, e realizaram ataques continuados às possessões bizantinas situadas na Europa.

No século XIV, o Império Otomano se estendia do Danúbio ao Eufrates; fora fundado por Murat I e consolidado por seu filho Bajazé I, que conquistou a maioria dos principados turcomanos da Anatólia. O império mongol de Tamerlão ocupou a Anatólia em 1402, capturando Bajazé.

  1. Sardes, capital do antigo reino da Lídia, alcançou seu máximo esplendor durante o reinado de Creso, famoso por sua riqueza.
  2. Depois da conquista da Lídia pelos persas, em 543 a.C., Sardes foi a capital ocidental do Império Persa.
  3. Estas colunas correpondem ao período de Ardis, pai de Creso, e foram descobertas nas escavações que tiveram início em 1910.

Mehemet I restaurou o Império Otomano, Murat II restabeleceu o domínio otomano até o Danúbio, Mehemet II, o Conquistador, tomou Constantinopla (1453) e submeteu a Anatólia até o Eufrates e seus sucessores incorporaram o coração do antigo califado islâmico.

Solimão I, o Magnífico, cruzou o Danúbio para conquistar a Hungria e cercou Viena em 1529; em direção ao leste, conquistou os últimos redutos da Anatólia e o antigo centro abássida e seldjúquida do Iraque. Após seu reinado, começou a decadência do Império Otomano. Os millets, comunidades criadas com critérios religiosos, e as corporações aumentaram sua autonomia.

Na Europa, surgiram Estados nacionais poderosos. Em 1571, uma esquadra formada por vários países católicos e comandada pelo espanhol Juan de Áustria, destruiu a esquadra otomana na batalha de Lepanto. Os otomanos recuperaram o controle naval do Mediterrâneo oriental por mais meio século.

Em meados do século XVII, o sultão Murat IV implantou as chamadas reformas tradicionais, que tiveram o apoio da classe dirigente e do Exército. Executou numerosos membros das corporações, expulsou os iranianos do Iraque e começou a conquista do Cáucaso (1638). Após a sua morte, irrompeu uma longa guerra com Veneza (1645-1669), o sultão Mehemet IV (1648-1687) entregou o governo ao grão-vizir Mehemet Köprülü, dando início a uma dinastia de vizires (chefes de governo), que durou até o começo do século XVIII.

Depois de um longo cerco a Viena, o exército otomano foi totalmente derrotado; estabeleceu-se então uma nova Liga formada pela Áustria e por Veneza, com o apoio da Polônia e da Rússia, que obtiveram territórios do Império. Situada no estreito do Bósforo, Istambul é a maior metrópole e a principal cidade portuária da Turquia.

  1. Suas muralhas pertencem à cidade original, construída no ano de 324 d.C.
  2. Por Constantino I de Roma.
  3. A guerra contra Veneza e Áustria (1714-1717) significou a perda de Belgrado e do norte da Sérvia.
  4. Durante o reinado de Ahmed III (1703-1730), inaugurou-se uma nova era de reformas orientadas para a europeização do país; o exército otomano foi modernizado.

Na guerra contra a Rússia e a Áustria (1736-1739), os otomanos recuperaram a maioria dos territórios perdidos no norte da Sérvia e nas costas setentrionais do mar Negro. Entre 1768 e 1792, nas Guerras Turco-russas, o Império esteve perto do desmoronamento total.

  1. No século XIX, despontou o nacionalismo entre os povos não-turcos.
  2. A Grécia foi o primeiro país a lutar por sua independência em 1829, e estouraram diversas revoltas por parte de sérvios, búlgaros, albaneses e armênios da Anatólia oriental.
  3. Durante os reinados de Mahmud II e Abdülhamit II, a classe dominante otomana implantou um movimento reformista pró-ocidental (1839-1876), conhecido como Tanzimat, que incluía a eliminação das minorias e provocou o genocídio de muitos milhões de armênios entre 1894 e 1918.

O autoritarismo da nova e moderna burocracia levou a um amplo movimento de oposição, os Jovens Turcos. Na Grécia, Sérvia e Bulgária, nasceram sociedades secretas que lutavam por meio de ações terroristas. Com a morte dos principais dirigentes do movimento Tanzimat por volta de 1870, o regime de corrupção voltou a grassar.

  • O Império Otomano perdeu seus domínios europeus, exceto Istambul, embora no Congresso de Berlim de 1877 tenha recuperado as suas províncias trácias e macedônias.
  • Em 1878, o sultão Abdülhamit instaurou um governo extremamente autocrático.
  • A reação veio com um novo movimento liberal de oposição dirigido pelos Jovens Turcos, que forçou o restabelecimento da Constituição e do Parlamento.

No exterior, a Áustria anexou a Bósnia e a Herzegovina, a Bulgária ocupou o leste da Romênia e as ações terroristas continuaram na Macedônia e na Anatólia oriental. Depois da tentativa contra-revolucionária comandada pelo sultão em 1909, este foi destronado pelo exército da Macedônia; os sultões otomanos se mantiveram no trono, mas seu poder de governo era nulo.

Os primeiros anos do período dos Jovens Turcos (1908-1918) constituíram a etapa mais democrática da história otomana. Organizaram-se vários partidos políticos, como o Partido da União e do Progresso, e a indústria e a agricultura receberam forte impulso. A primeira das Guerras dos Balcãs levou ao triunfo do setor mais autoritário do Partido da União e do Progresso, que impôs um triunvirato no governo, dirigido por Enver Paxá.

A Turquia entrou na I Guerra Mundial motivada pela oferta alemã de recuperar as províncias perdidas na Europa. Depois de um brilhante desempenho das Forças Armadas turcas na campanha de Gallípoli, as forças britânicas invadiram a Síria e ocuparam o sul da Anatólia.

  1. Os russos invadiram a Anatólia oriental e central em 1915 e 1916.
  2. Um quarto da população morreu, e sobreveio grave crise econômica.
  3. Com a rendição, o governo turco foi entregue às forças de ocupação aliadas.
  4. O Tratado de Sèvres (1920) determinou que o território turco englobava parte da Anatólia central e setentrional, estabeleceu zonas de influência francesa e italiana, autorizou a criação de uma Armênia independente e um Curdistão autônomo, internacionalizou a zona dos estreitos e deu à Grécia a Trácia e a região ao redor de Esmirna.

O exército grego ocupou Esmirna em 1922. Na Anatólia, sob o comando de Mustafá Kemal Atatürk, ressurgiu o movimento nacionalista turco. Na Guerra da Independência turca (1918-1923), Atatürk expulsou as forças de ocupação gregas, inglesas, francesas e italianas.

  • As zonas turcas da Trácia oriental e da Anatólia passaram a formar um único Estado.
  • Proclamou-se a república com capital em Ancara, e em 1923 o sultanato foi abolido.
  • Dirigida por Atatürk durante 15 anos, a República viveu intenso progresso econômico.
  • Ismet Inönü deu continuidade a essa política e manteve o país neutro durante quase toda a II Guerra Mundial.

Em 1952, a Turquia tornou-se membro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). Inönü democratizou o regime e permitiu a introdução de partidos políticos de oposição. Em 1950, o Partido Democrático, que defendia a introdução da empresa privada, triunfou nas eleições gerais.

  1. O Partido Democrático controlou o governo entre 1950 e 1960, e a economia expandiu-se rapidamente.
  2. Não obstante, a má administração gerou descontentamento político.
  3. Em 1960, um golpe de Estado militar derrubou o governo e instaurou uma nova Constituição.
  4. Depois de 1961, a Turquia foi dirigida por uma série de governos fracos.

Apareceram grupos extremistas e a violência aumentou. A disputa pelo poder se deu em geral entre os dois partidos com maior representação, o Partido Republicano, sob a liderança de Bülent Ecevit, e o Partido da Justiça, sob o comando de Suleimam Demirel.

  1. Havia outros partidos, mas a representação proporcional estabelecida pela Constituição impedia que eles obtivessem a maioria.
  2. Em 1974, a Turquia ocupou o norte de Chipre, em resposta a uma rebelião civil grega na ilha.
  3. Em 1980, o Exército tomou o poder e suspendeu a Constituição.
  4. Em 1982, promulgou-se uma nova constituição, e Kenan Evren foi nomeado presidente.

Nas eleições parlamentares de novembro de 1983, o Partido da Mãe Pátria obteve uma vitória esmagadora. Seu dirigente maior, Turgut Özal, foi nomeado primeiro-ministro em 1989, sendo o primeiro chefe de Estado civil desde 1960. Depois da guerra do Golfo Pérsico e após uma rebelião dos curdos iraquianos centenas de refugiados cruzaram a fronteira da Turquia.

Os governos ocidentais continuam criticando a violação turca dos direitos humanos. Com a vitória do Partido do Bem-estar (de tendência islâmica) em 1995, seu dirigente Necmettin Erbakam formou um governo de coalizão com o primeiro-ministro anterior e com o apoio dos deputados do Partido da Grande Unidade, de extrema direita.

Não pare agora. Tem mais depois da publicidade 😉 Por Rainer Gonçalves Sousa : História da Civilização Turca – Curiosidade da Civilização Turca

Qual é a origem do povo turco?

A História dos Turcos permeia o desenvolvimento dos impérios da região do Oriente Médio, desde a Idade Média até o início do século XX. Por Me. Cláudio Fernandes A história dos turcos, ou da civilização turca, teve sua origem na Ásia, mas se estabeleceu na região do Oriente Médio por meio de ondas migratórias que os conduziram para essas regiões.

  • Assim como os povos árabes, os turcos foram convertidos ao Islamismo por volta do século X d.C.
  • E, a partir de então, passaram a traçar sua própria forma de organização política, que se sobrepôs às outras formas de organização política do Oriente Médio.
  • No século XI, uma primeira organização imperial turca foi desenvolvida a partir da dinastia seljúcida, constituindo assim o primeiro império turco.

As regiões dominadas pela dinastia seljúcida compreendiam a Mesopotâmia, Síria e a Palestina. Entretanto, tal dinastia fragmentou-se por conta de divergências internas, tendo durado pouco, se comparada com aquela que a sucedeu, a otomana. Na segunda metade do século XIII, o líder turco Otman, ou Osman, fundou o seu império, que ficou conhecido como Império Turco-Otomano,

Esse império, assim como o da dinastia seljúcida, era muçulmano e também se desenvolveu na região do Oriente Médio. No entanto, seus domínios tornaram-se muito mais vastos, abrangendo os planaltos da Anatólia, onde fica a atual Turquia, após derrotar o Império Bizantino, em 1453, com a conquista de Constantinopla – que mudaria seu nome para Istambul.

A dinastia otomana também conquistou a maior parte dos territórios dominados pelos antigos califas árabes, como a Península Arábica, a Mesopotâmia, a Síria e a região norte da África, além de parte dos territórios do leste europeu. Não pare agora. Tem mais depois da publicidade 😉 O Império Turco-Otomano teve uma duração muito longa, chegando ao fim apenas no início do século XX durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918).

Qual é o significado da palavra Istambul?

Etimologicamente o nome é derivado da expressão grega medieval ‘εἰς τὴν Πόλιν’ ou, no dialeto egeu, ‘εἰς τὰν Πόλιν’ (em grego moderno: στην Πόλι ), que significa ‘na cidade’, ‘à cidade’ ou ‘centro da cidade’.

Por que a Turquia não pode fazer parte da União Europeia?

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Este artigo ou seção pode conter informações desatualizadas, Se tem conhecimento sobre o tema abordado, edite a página e inclua as informações mais recentes, citando fontes fiáveis e independentes, — Encontre fontes: ABW • CAPES • Google ( N • L • A ) ( Janeiro de 2021 )

Em 1987, a Turquia candidatou-se à adesão ao que era, então, a Comunidade Económica Europeia (CEE) e, em 1999, foi declarada elegível para aderir à União Europeia (UE). Após os dez membros fundadores em 1949, a Turquia tornou-se um dos primeiros novos membros (o 13.º membro) do Conselho da Europa em 1950.

O país tornou-se membro associado da CEE em 1963 e foi membro associado da União da Europa Ocidental de 1992 até o final de 2011. A Turquia assinou um acordo de união aduaneira com a UE em 1995 e foi oficialmente reconhecida como candidato à adesão de pleno direito em 12 de Dezembro de 1999, na Conferência de Helsínquia do Conselho Europeu,

As negociações para adesão plena foram iniciadas em 3 de outubro de 2005. O processo foi lento e dos 35 capítulos necessários para concluir o processo de adesão, apenas 16 foram abertos e um foi encerrado em maio de 2016. O acordo de refugiados do início de 2016 entre a Turquia e a União Europeia (UE) pretendia acelerar as negociações após a estagnação anterior e permitir aos turcos viajarem sem visto pela Europa,

See also:  Qual Foi O Resultado Da LotofCil?

Desde 2016, as negociações de adesão estão paralisadas. A UE acusou e criticou a Turquia por violações dos direitos humanos e desrespeitos ao Estado de direito, Em 2017, funcionários da UE expressaram que as políticas turcas em planejamento violam os Critérios de Copenhaga de elegibilidade para adesão à UE.

Em 26 de junho de 2018, o Conselho de Assuntos Gerais da UE declarou que “a Turquia tem se distanciado cada vez mais da União Europeia”. As negociações de adesão da Turquia foram efetivamente paralisadas e nenhum outro capítulo pode ser considerado para abertura ou encerramento e nenhum trabalho adicional está previsto para a modernização da união aduaneira UE-Turquia.”

Qual a única cidade do mundo que fica em dois continentes?

Futuro Urbano apresenta a beleza da cidade turca – I stambul, provavelmente a cidade mais antiga do mundo, é a única metrópole situada em dois continentes. O estreito de B ósforo, símbolo da cidade, separa E uropa e Á sia. H á 2.700 anos pessoas vivem nessa região, o império romano foi governado a partir daqui, depois o Império B izantino e depois o Império O tomano. Turquia Fica Em Qual Continente Futuro Urbano apresenta Istambul – Divulgação A localização entre os continentes e os mares fez de I stambul um lugar central para comércio, transporte e economia. C omo a cidade lida hoje com o desafio da imigração e do crescimento? Clique aqui para saber como sintonizar a programação da TV Brasil.

Qual país é dividido em dois continentes?

Os países que têm seus territórios divididos entre Ásia e Europa são: Armênia, Azerbaijão, Cazaquistão, Chipre, Geórgia, Rússia e Turquia. O maior país transcontinental do mundo é a Rússia, cujo território está em sua maior porção na parte asiática. No entanto, sua capital está na parte europeia.

Que país colonizou a Turquia?

História da Civilização Turca – Curiosidade da Civilização Turca A primeira civilização importante da Anatólia foi a dos hititas, entre 1900 e 1200 a.C. Os frígios dominaram a região entre os séculos IX e VIII a.C.; no século VII a.C., os lídios fundaram um reino nas costas do mar Egeu, que foi ocupado pelos persas de Ciro II, o Grande, em 546 a.C.

  1. A cidade de Éfeso, na Turquia, reconstitui uma antiga cidade grega situada na costa ocidental da Ásia Menor.
  2. A via Arcadiana (na imagem) é uma calçada de mármore construída durante o reinado do imperador Arcádio (395-408 d.C.).
  3. Seu trajeto inicia-se na área central do porto e termina no teatro da cidade.

Este teatro greco-romano foi edificado no período helenístico. Governantes posteriores modificaram a estrutura do edifício e os traços que ainda se conservam parecem totalmente romanos. No século IV a.C., o território foi dominado por Alexandre Magno. Nos séculos II e I a.C., chegaram os romanos.

  • Depois da divisão do Império Romano no século IV d.C, a Ásia Menor passou a fazer parte do Império Bizantino, cuja capital era Constantinopla ou Bizâncio.
  • No século XI, a Ásia Menor sofreu a invasão dos seldjúquidas turcos, que foram derrotados pelos mongóis de Gengis Khan.
  • Na Anatólia, os nômades turcomanos fundaram uma série de principados.

O monte Ararat, que se levanta nas terras altas do leste da Turquia, possui dois cumes; o mais alto, o Grande Ararat, com 5.122 m de altitude, está coberto de neves perpétuas. Segundo o Antigo Testamento, foi neste cume que a arca de Noé desembarcou. Osman I, fundador da dinastia otomana, contratou os serviços de numerosos nômades turcomanos, árabes e iranianos que fugiam dos mongóis.

A partir de 1326, os otomanos passaram a controlar o sistema administrativo, financeiro e militar da área. A expansão otomana na Europa começou com o reinado de Orjan. Os soldados otomanos (janízaros) ocuparam vários territórios bizantinos na Trácia e na Macedônia, e realizaram ataques continuados às possessões bizantinas situadas na Europa.

No século XIV, o Império Otomano se estendia do Danúbio ao Eufrates; fora fundado por Murat I e consolidado por seu filho Bajazé I, que conquistou a maioria dos principados turcomanos da Anatólia. O império mongol de Tamerlão ocupou a Anatólia em 1402, capturando Bajazé.

  • Sardes, capital do antigo reino da Lídia, alcançou seu máximo esplendor durante o reinado de Creso, famoso por sua riqueza.
  • Depois da conquista da Lídia pelos persas, em 543 a.C., Sardes foi a capital ocidental do Império Persa.
  • Estas colunas correpondem ao período de Ardis, pai de Creso, e foram descobertas nas escavações que tiveram início em 1910.

Mehemet I restaurou o Império Otomano, Murat II restabeleceu o domínio otomano até o Danúbio, Mehemet II, o Conquistador, tomou Constantinopla (1453) e submeteu a Anatólia até o Eufrates e seus sucessores incorporaram o coração do antigo califado islâmico.

Solimão I, o Magnífico, cruzou o Danúbio para conquistar a Hungria e cercou Viena em 1529; em direção ao leste, conquistou os últimos redutos da Anatólia e o antigo centro abássida e seldjúquida do Iraque. Após seu reinado, começou a decadência do Império Otomano. Os millets, comunidades criadas com critérios religiosos, e as corporações aumentaram sua autonomia.

Na Europa, surgiram Estados nacionais poderosos. Em 1571, uma esquadra formada por vários países católicos e comandada pelo espanhol Juan de Áustria, destruiu a esquadra otomana na batalha de Lepanto. Os otomanos recuperaram o controle naval do Mediterrâneo oriental por mais meio século.

  1. Em meados do século XVII, o sultão Murat IV implantou as chamadas reformas tradicionais, que tiveram o apoio da classe dirigente e do Exército.
  2. Executou numerosos membros das corporações, expulsou os iranianos do Iraque e começou a conquista do Cáucaso (1638).
  3. Após a sua morte, irrompeu uma longa guerra com Veneza (1645-1669), o sultão Mehemet IV (1648-1687) entregou o governo ao grão-vizir Mehemet Köprülü, dando início a uma dinastia de vizires (chefes de governo), que durou até o começo do século XVIII.

Depois de um longo cerco a Viena, o exército otomano foi totalmente derrotado; estabeleceu-se então uma nova Liga formada pela Áustria e por Veneza, com o apoio da Polônia e da Rússia, que obtiveram territórios do Império. Situada no estreito do Bósforo, Istambul é a maior metrópole e a principal cidade portuária da Turquia.

Suas muralhas pertencem à cidade original, construída no ano de 324 d.C. por Constantino I de Roma. A guerra contra Veneza e Áustria (1714-1717) significou a perda de Belgrado e do norte da Sérvia. Durante o reinado de Ahmed III (1703-1730), inaugurou-se uma nova era de reformas orientadas para a europeização do país; o exército otomano foi modernizado.

Na guerra contra a Rússia e a Áustria (1736-1739), os otomanos recuperaram a maioria dos territórios perdidos no norte da Sérvia e nas costas setentrionais do mar Negro. Entre 1768 e 1792, nas Guerras Turco-russas, o Império esteve perto do desmoronamento total.

  1. No século XIX, despontou o nacionalismo entre os povos não-turcos.
  2. A Grécia foi o primeiro país a lutar por sua independência em 1829, e estouraram diversas revoltas por parte de sérvios, búlgaros, albaneses e armênios da Anatólia oriental.
  3. Durante os reinados de Mahmud II e Abdülhamit II, a classe dominante otomana implantou um movimento reformista pró-ocidental (1839-1876), conhecido como Tanzimat, que incluía a eliminação das minorias e provocou o genocídio de muitos milhões de armênios entre 1894 e 1918.

O autoritarismo da nova e moderna burocracia levou a um amplo movimento de oposição, os Jovens Turcos. Na Grécia, Sérvia e Bulgária, nasceram sociedades secretas que lutavam por meio de ações terroristas. Com a morte dos principais dirigentes do movimento Tanzimat por volta de 1870, o regime de corrupção voltou a grassar.

  1. O Império Otomano perdeu seus domínios europeus, exceto Istambul, embora no Congresso de Berlim de 1877 tenha recuperado as suas províncias trácias e macedônias.
  2. Em 1878, o sultão Abdülhamit instaurou um governo extremamente autocrático.
  3. A reação veio com um novo movimento liberal de oposição dirigido pelos Jovens Turcos, que forçou o restabelecimento da Constituição e do Parlamento.

No exterior, a Áustria anexou a Bósnia e a Herzegovina, a Bulgária ocupou o leste da Romênia e as ações terroristas continuaram na Macedônia e na Anatólia oriental. Depois da tentativa contra-revolucionária comandada pelo sultão em 1909, este foi destronado pelo exército da Macedônia; os sultões otomanos se mantiveram no trono, mas seu poder de governo era nulo.

  • Os primeiros anos do período dos Jovens Turcos (1908-1918) constituíram a etapa mais democrática da história otomana.
  • Organizaram-se vários partidos políticos, como o Partido da União e do Progresso, e a indústria e a agricultura receberam forte impulso.
  • A primeira das Guerras dos Balcãs levou ao triunfo do setor mais autoritário do Partido da União e do Progresso, que impôs um triunvirato no governo, dirigido por Enver Paxá.

A Turquia entrou na I Guerra Mundial motivada pela oferta alemã de recuperar as províncias perdidas na Europa. Depois de um brilhante desempenho das Forças Armadas turcas na campanha de Gallípoli, as forças britânicas invadiram a Síria e ocuparam o sul da Anatólia.

  • Os russos invadiram a Anatólia oriental e central em 1915 e 1916.
  • Um quarto da população morreu, e sobreveio grave crise econômica.
  • Com a rendição, o governo turco foi entregue às forças de ocupação aliadas.
  • O Tratado de Sèvres (1920) determinou que o território turco englobava parte da Anatólia central e setentrional, estabeleceu zonas de influência francesa e italiana, autorizou a criação de uma Armênia independente e um Curdistão autônomo, internacionalizou a zona dos estreitos e deu à Grécia a Trácia e a região ao redor de Esmirna.

O exército grego ocupou Esmirna em 1922. Na Anatólia, sob o comando de Mustafá Kemal Atatürk, ressurgiu o movimento nacionalista turco. Na Guerra da Independência turca (1918-1923), Atatürk expulsou as forças de ocupação gregas, inglesas, francesas e italianas.

  • As zonas turcas da Trácia oriental e da Anatólia passaram a formar um único Estado.
  • Proclamou-se a república com capital em Ancara, e em 1923 o sultanato foi abolido.
  • Dirigida por Atatürk durante 15 anos, a República viveu intenso progresso econômico.
  • Ismet Inönü deu continuidade a essa política e manteve o país neutro durante quase toda a II Guerra Mundial.

Em 1952, a Turquia tornou-se membro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). Inönü democratizou o regime e permitiu a introdução de partidos políticos de oposição. Em 1950, o Partido Democrático, que defendia a introdução da empresa privada, triunfou nas eleições gerais.

  • O Partido Democrático controlou o governo entre 1950 e 1960, e a economia expandiu-se rapidamente.
  • Não obstante, a má administração gerou descontentamento político.
  • Em 1960, um golpe de Estado militar derrubou o governo e instaurou uma nova Constituição.
  • Depois de 1961, a Turquia foi dirigida por uma série de governos fracos.

Apareceram grupos extremistas e a violência aumentou. A disputa pelo poder se deu em geral entre os dois partidos com maior representação, o Partido Republicano, sob a liderança de Bülent Ecevit, e o Partido da Justiça, sob o comando de Suleimam Demirel.

  • Havia outros partidos, mas a representação proporcional estabelecida pela Constituição impedia que eles obtivessem a maioria.
  • Em 1974, a Turquia ocupou o norte de Chipre, em resposta a uma rebelião civil grega na ilha.
  • Em 1980, o Exército tomou o poder e suspendeu a Constituição.
  • Em 1982, promulgou-se uma nova constituição, e Kenan Evren foi nomeado presidente.

Nas eleições parlamentares de novembro de 1983, o Partido da Mãe Pátria obteve uma vitória esmagadora. Seu dirigente maior, Turgut Özal, foi nomeado primeiro-ministro em 1989, sendo o primeiro chefe de Estado civil desde 1960. Depois da guerra do Golfo Pérsico e após uma rebelião dos curdos iraquianos centenas de refugiados cruzaram a fronteira da Turquia.

Os governos ocidentais continuam criticando a violação turca dos direitos humanos. Com a vitória do Partido do Bem-estar (de tendência islâmica) em 1995, seu dirigente Necmettin Erbakam formou um governo de coalizão com o primeiro-ministro anterior e com o apoio dos deputados do Partido da Grande Unidade, de extrema direita.

Não pare agora. Tem mais depois da publicidade 😉 Por Rainer Gonçalves Sousa : História da Civilização Turca – Curiosidade da Civilização Turca